Vice-presidente do Pelotas relata agressão sofrida na Boca do Lobo

NULL
Lucas de Campos 5 março, 2015 Fonte:

Motivo teria sido a inconformidade de alguns torcedores do clube com a cessão do estádio para jogos do Brasil pela Série A do Gauchão

Na tarde desta quinta-feira (5) o vice-presidente do Pelotas, Flávio Gastaud, convocou uma coletiva de imprensa para relatar e esclarecer sobre a agressão da qual foi vítima na tarde de quarta-feira. Segundo ele, os autores são torcedores do próprio Pelotas – inconformados com o fato de o estádio da Boca do Lobo ser utilizado pelo arquirrival Brasil em pelo menos três partidas da Série A do Campeonato Gaúcho.

O local foi solicitado pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF) em razão da interdição do estádio Bento Freitas após incidente na partida contra o Flamengo pela Copa do Brasil. Na ocasião, parte da arquibancada voltada para a rua Princesa Isabel cedeu – o que deixou duas crianças levemente feridas.

A ação aconteceu em frente ao estádio da Boca do Lobo. Emocionado, o dirigente afirmou que está tomando providências legais contra os agressores e que não deixará a diretoria do clube em função do ocorrido. Durante a coletiva, ele não mencionou a identidade dos autores do ataque, nem se são ligados a alguma torcida organizada do clube. Questionado, sugeriu que os repórteres procurassem o boletim de ocorrência registrado momentos depois da agressão na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). Além de Gastaud, o ex-jogador e hoje funcionário do Pelotas, Roger Bauer, também foi agredido. 

“Eu estava na frente do estádio do Pelotas quando vieram pela calçada de quatro a cinco torcedores do Pelotas. Um deles tentou me agredir, eu me defendi, mas ele acabou me agredindo pelas costas e também acertou o nosso funcionário, Roger Bauer. Chamamos a Brigada Militar, fizemos ocorrência e vamos seguir com o processo”, afirmou Gastaud.

Em meio à coletiva, o vice-presidente áureo-cerúleo se emocionou ao falar da família. Ele também garantiu que a tentativa de intimidação desse grupo de torcedores não será suficiente para afastá-lo da direção do Pelotas. “Minha família sabe o que aconteceu, me apoia e essas pessoas vão ter que me tolerar até o final do mandato”, disse.

O boletím de ocorrência registrado por Gastaud identifica apenas um torcedor do grupo apontado como responsável pelas agressões. O dirigente, que também é advogado, confirmou que dará sequência ao episódio no Judiciário. Para ele, o fato é isolado e de uma minoria de torcedores do Lobo.

“Atribuo isso aos marginais reais e aos marginais virtuais, devido a tudo que vem sendo dito nas redes sociais desde quando o Brasil teve o campo requisitado pela FGF. Já explicamos que não temos forma legal de negar”, repetiu.

Gastaud disse ainda que o Esporte Clube Pelotas está tomando providências para proibir a entrada destes torcedores na Boca do Lobo.

Fonte: diariopopular.com.br

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.