Verão deve ter períodos de tempo seco prolongado

Temperaturas devem ficar na média, sem calor extremo
Lucas de Campos 21 dezembro, 2017 Fonte:

A primavera se despede do Brasil nesta quinta-feira, 21, deixando para trás um período marcado pela consolidação do La Niña. No Rio Grande do Sul, o fenômeno causou chuva irregular e mal distribuída em outubro e novembro.

O volume de precipitações ficou abaixo do normal na Fronteira Oeste e no extremo Norte gaúcho. Nas demais áreas, a chuva ficou acima da média. Mas, nas duas primeiras semanas de dezembro, o cenário foi diferente: a estiagem tomou conta de várias regiões. Frentes frias chegaram a causar chuva, mas fraca e isolada.

Ao que tudo indica, o fenômeno La Niña continuará atuando no país durante o verão, que começa às 14h28 (horário de Brasília) desta quinta-feira, 21, e prossegue até 20 de março de 2018 – mas com pouco impacto no RS. O tempo durante a estação deve ser influenciado pela temperatura da água do Atlântico – quanto mais quente na costa do Sul, maior o potencial para dar energia às frentes frias que passam.

O acumulado de chuva deve ficar dentro da média. Assim como na primavera, podem ocorrer períodos alternados de estiagem – tempo seco prolongado – e de instabilidade.

O Estado deve registrar estiagem entre janeiro e fevereiro. Isso ocorrerá em todo o RS. No entanto, não se descartam temporais.

A previsão é de que a temperatura também fique na média.  Enquanto no último verão o RS passou por vários dias seguidos de calor forte, agora, serão reduzidos a um ou dois dias em sequência de alta temperatura. Não serão registrados longos períodos de calor extremo (acima dos 30°C). 

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.