USDA: Primeiras projeções para safra 2015/16 indicam menores áreas para soja e milho nos EUA

NULL
Lucas de Campos 19 fevereiro, 2015 Fonte:

Nesta quinta-feira (19), o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) realiza do Annual Outlook Forum e divulgou sua primeira projeção de área de plantio da safra 2015/16 do país e trouxe números menores para soja, milho e trigo. 

A redução mais significativa foi projetada para o milho e, para o economista-chefe interino do USDA, Robert Johansson,”as consecutivas safras recordes reduziram os preços para muitos grãos e uma nova redução de preços é esperada para a safra 2015/16, recuando para perto dos preços mínimos estabelecidos em lei para muitas culturas”.

Assim, a área de plantio prevista para o milho ficou em 36,02 milhões de hectares, contra 36,67 milhões da temporada 2014/15, número que veio em linha com as projeções do mercado. Na soja, a estimativa é de que sejam plantados 33,79 milhões de hectares – número bem menor do que vinha sendo especulado pelos traders, enquanto na safra anterior foram cultivados 33,87 milhões. 

“Os produtores americanos seguem trocando área de milho para a soja em função de custos menores e melhora nas técnicas de rotação de cultura”, explicou o analista sênior de mercado do site norte-americano Farm Futures, Bryce Knorr. 

Na Reuters: USDA projeta menor plantio de soja, milho e trigo nos EUA em 2015/16

LOGO REUTERS

WASHINGTON (Reuters) – Agricultores dos Estados Unidos vão plantar uma área menor de soja, milho e trigo na safra 2015/16 em resposta à queda nos preços, disse o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) nesta quinta-feira.

Em sua conferência anual de perspectivas para a agricultura, o USDA projetou menores preços futuros para a maior parte dos produtos agrícolas dos EUA, após grandes colheitas em 2014/15.

“As consecutivas safras recordes reduziram os preços para muitos grãos”, disse o economista-chefe interino do USDA, Robert Johansson.

“Uma nova redução de preços é esperada para a safra 2015/16, recuando para perto dos preços mínimos estabelecidos em lei para muitas culturas.”

(Por Julie Ingwersen)

Fonte: Notícias Agrícolas
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.