Transformação digital pode ajudar preservação do solo

Sepé Tiaraju 11 fevereiro, 2019 Fonte: Agrolink

O especialista Diego Siqueira, engenheiro agrônomo, afirmou que a transformação digital pode auxiliar a preservação do solo através da chamada “governança do solo”. De acordo com ele, dados da Organização das Nações Unidas (ONU) mostram que o uso inadequado desse recurso natural causa perdas da ordem de 5 a 7 milhões de hectares anualmente “e já perdemos metade dos solos férteis do planeta nos últimos 150 anos”.
Segundo ele, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) classifica a governança do solo como um “conjunto de políticas, estratégias e processos para balizar e orientar a tomada de decisão sobre uso e ocupação do solo dentro de um país, estado ou cidade. Porém, a governança vai mais além, promovendo a agricultura sustentável e garantindo a segurança alimentar, por meio da ciência, tecnologia e da transformação digital”.

Nesse cenário, o Brasil já iniciou algumas discussões sobre a utilização da transformação digital na conservação dos solos, movimentando várias iniciativas públicas que podem ajudar a apurar os riscos e as oportunidades da governança. “Porém, existe pouca ou nenhuma integração de informações, é o que aponta auditoria realizada pelo TCU. Em 2014, foi aplicado cerca de R$ 1,7 bilhão em programas nessa área. A transformação digital pode contribuir significativamente para essa integração de informações, data analytics, ações transdisciplinares e tomada de decisão multissetorial”, comenta.

“Em outros países como Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Estônia e Nova Zelândia, desde 2009 já ocorrem debates sobre dados governamentais abertos e governo eletrônico (e-gov). No movimento M-gov, plataformas permitem o acesso a serviços e informações públicas para diferentes setores e aplicações, dentre elas governança do solo”, completa.

Para finalizar, Siqueira afirma é necessária uma maior conscientização e melhora na percepção pública sobre as atividades de pesquisa e desenvolvimento para geração de indicadores representativos do solo. “A governança do solo impulsionada pela transformação digital pode ainda contribuir para elevar a sustentabilidade do agronegócio brasileiro, através de programas e certificação de atividades agrícolas e industriais em âmbito nacional e internacional”, conclui.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 22 fevereiro, 2019

    Confrontos na fronteira com a Venezuela deixam 2 mortos e 15 feridos

    O dia começou tenso e com confrontos entre militares e manifestantes na fronteira do ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 22 fevereiro, 2019

    Lions Clube de Santo Ângelo promove mais uma edição do tradicional baile do Município

    Toda a comunidade Santo-angelense está convidada a participar do tradicional Jantar Baile em comemoração ao ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 22 fevereiro, 2019

    Carmem Flores repassou verba para filha e neta

    Candidata ao Senado e presidente estadual do PSL gaúcho durante o último processo eleitoral, a ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.