Soja: Mercado realiza lucros em Chicago na tarde desta 5ª feira

NULL
Lucas de Campos 7 maio, 2015 Fonte:

No início da tarde desta quinta-feira (7), os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago voltaram a cair e, por volta de 12h40 (horário de Brasília), perdiam mais de 7 pontos entre os vencimentos mais próximos. Já as posições mais distantes registravam perdas menos intensas, que variavam entre 2 e 3 pontos. As baixas mais fortes são registradas no contrato maio/15 que vence nos próximos dias. 

O mercado passa, segundo explicam os analistas, por um novo movimento de realização de lucros depois das altas registradas no início da semana, e registra uma sessão de considerável volatilidade. 

Além desse comportamento técnico, notícias divergentes sobre as condições do clima nos Estados Unidos também reforçam a falta de direção do mercado neste pregão, de acordo com analistas internacionais. 

Ainda nesta quinta, o mercado trabalha com os últimos números divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) sobre as vendas semanais para exportação de soja e derivados. No entanto, as informações foram insuficientes para provocar um avanço mais significativo das cotações, apesar de as vendas da oleaginosa em grão terem superado as expectativas do mercado. 

As vendas norte-americanas de soja somaram, na semana que terminou em 30 de abril, 689,1 mil toneladas, contra 315 mil da semana anterior, e assim ficaram acima das expectativas do mercado, que eram de 570 mil toneladas. Foram 338,8 mil toneladas da safra 2014/15 e mais 350,3 mil da temporada nova. 

No acumulado do ano, portanto, o total é de 49,411 milhões de toneladas, contra a última projeção  do USDA de 48,72 milhões de toneladas para as exportações totais. No mesmo período do ciclo anterior, o total era de 44.634,1 milhões. Do total vendido, quase 46 milhões de toneladas já foram embarcadas. 
 
Essas estimativas deverão ser revistas no próximo boletim mensal de oferta e demanda do departamento e a expectativa dos analistas de mercado é que de que sejam elevadas, bem como é esperado ainda um corte nos estoques finais norte-americanos da oleaginosa. O novo relatório do USDA será divulgado no dia 12 de maio. 

Fonte: Notícias Agrícolas
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.