Soja: Mercado nos portos tem semana de mais de 3% de alta e negócios de R$ 82,50

No interior do país, os ganhos nas principais praças de comercialização pesquisadas junto aos sindicatos e cooperativas apontaram ganhos que variam entre 2,36% e 6,90%. Em Não-Me-Toque/RS, o preço ficou em R$ 67,50 por saca, enquanto Tangará da Serra/MT fechou com R$ 62,00 e São Gabriel do Oeste/MS com R$ 63,00 por saca.
Lucas de Campos 10 agosto, 2015 Fonte:

O dólar disparou na semana passada, superou largamente os R$ 3,50, e os preços da soja praticados no Brasil acompanharam o avanço tanto nos portos quanto no interior do país. A moeda norte-americana acumulou alta de mais de 2% na semana e, com um balanço semanal também positivo para as cotações na Bolsa de Chicago, os valores foram os melhores do ano já registrados tanto para a soja disponível quanto para a da safra nova. 

No terminal de Rio Grande, o produto disponível subiu 4,11% desde a última sexta-feira (31) e fechou com R$ 81,00. Ao longo do dia, porém, como relatou o consultor de mercado Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, alguns negócios chegaram a bater em R$ 82,50 por saca. Para a soja da safra 2015/16, entrega maio do ano que vem, o ganho acumulado na semana foi de 3,86% para R$ 80,80 por saca. Em Paranaguá, as altas foram de 2,60% e 3,04%, respectivamente, para R$ 79,00 e R$ 78,00 por saca.

No interior do país, os ganhos nas principais praças de comercialização pesquisadas junto aos sindicatos e cooperativas apontaram ganhos que variam entre 2,36% e 6,90%. Em Não-Me-Toque/RS, o preço ficou em R$ 67,50 por saca, enquanto Tangará da Serra/MT fechou com R$ 62,00 e São Gabriel do Oeste/MS com R$ 63,00 por saca. 

"Tivemos, nesta sexta-feira, os melhores níveis do ano para a soja nos portos, as cotações em reais estão bastante atrativas, o mercado internacional é fortemente comprador, foi uma semana de negócios escassos, mas fechamos uma boa semana", explica Vlamir Brandalizze, consultor de mercado da Brandalizze Consulting.

Em Chicago

Na Bolsa de Chicago, os preços também registrou uma semana positiva, com altas de 1,91% a 2,88% entre os principais vencimentos praticados. O contrato agosto/15 fechou com US$ 10,09 por bushel, enquanto o novembro/15, referência para a safra americana, terminando com US$ 9,63. E os últimos dias foram marcados por expectativas e intensa volatilidade. 

"O mercado está se preparando para receber os relatórios da semana que vem. Chega na segunda-feira (10) o relatório de acompanhamento de safras e há muitos indicativos de que, nesses últimos dias, a qualidade das lavouras ficou comprometida, já dando sinais de que as inundações de junho começam a mostrar os reais prejuízos. Então, o mercado começa a corrigir os números para cima, já prevendo uma redução de produtividade", diz  Brandalizze. 

Na quarta-feira (12), o mercado recebe o boletim mais esperado pelos traders que é o novo mensal de oferta e demanda trazido pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). " A unanimidade destas agências espera que o departamento americano traga um ajuste para baixo na projeção de produção, tanto para milho quanto a soja", diz o consultor de mercado da TRINI Consultoria, Mársio Ribeiro.

expectativa safra usada milho e soja

O comportamento do clima nos Estados Unidos e seu impacto sobre o desenvolvimento da nova safra do país é outro fator que continua a ser acompanhado. As últimas previsões climáticas indicam condições, até o momento, favoráveis para a conclusão da safra 2015/16 norte-americana. Algumas tempestades se movimentam para o alto do Vale do Rio Mississipi, com uma nova frente podendo trazer algumas chuvas modestas à região central do Corn Belt, como mostra o mapa abaixo com a previsão para os próximos sete dias.

Previsão de chuvas para os EUA nos próximos 7 dias - Fonte: NOAA

Previsão de chuvas para os EUA nos próximos 7 dias – Fonte: NOAA

Já para o período dos próximos 6 a 10 dias – 13 a 17 de agosto -, as previsões do NOAA, o departamento oficial de clima do governo americano, já se espera um clima mais seco para a maior parte do Corn Belt, com chuvas e temperaturas abaixo da média, como indicam os mapas a seguir. 

Previsão de chuvas nos EUA de 13 a 17 de agosto - Fonte: NOAA

Previsão de chuvas nos EUA de 13 a 17 de agosto – Fonte: NOAA

Previsão de temperaturas nos EUA de 13 a 17 de agosto - Fonte: NOAA

Previsão de temperaturas nos EUA de 13 a 17 de agosto – Fonte: NOAA

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.