Relator da reforma administrativa quer recriar ministérios

Sepé Tiaraju 7 maio, 2019 Fonte: Agência Brasil

O líder do governo no Senado e relator da medida provisória que trata da reforma administrativa, Fernando Bezerra (MDB-PE), disse hoje (7) que, após negociação com o governo, vai propor em seu relatório o desmembramento do Ministério do Desenvolvimento Regional recriando os ministérios da Integração Nacional e o das Cidades.

“Hoje de manhã em reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ficou decidido que o Ministério do Desenvolvimento Regional vai ser desmembrado e vai ser recriado o Ministério das Cidades e o da Integração Nacional”, disse.

Outro ponto que, segundo Bezerra, foi acordado com o governo e fará parte do relatório a ser apresentado por ele é a proposta de recriar o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea).

O relatório sobre a medida provisória que estabelecerá a estrutura administrativa do governo Bolsonaro deve ser apresentado ainda nesta terça-feira e a intenção, de acordo com o relator, é votar amanhã (8) na comissão parlamentar mista que analisa o assunto. A MP 870 recebeu 541 emendas parlamentares

Coaf

Fernando Bezerra reuniu-se hoje com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar da defesa, em seu relatório, da permanência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério da Justiça e Segurança Pública, para onde foi transferido no início do ano, com a extinção do Ministério da Fazenda.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, tem defendido que o órgão permaneça sob sua responsabilidade. A aprovação da sugestão agora depende do trabalho de convencimento dos parlamentares. “Hoje o placar está bem apertado na comissão.

Estamos trabalhando para ganhar por um ou dois votos”, disse Bezerra sobre manter o Coaf na pasta da Justiça.

Na reunião, Bezerra e Guedes também trataram da mudança de responsabilidade de concessão do registro sindical da pasta da Justiça para a da Economia. “Ele preferia que isso ficasse na Justiça, mas explicamos que o único momento em que registro sindical ficou ligado ao ministério responsável pela segurança, pela investigação foi durante o Estado Novo. É importante que, em um regime democrático que estamos vivendo, o registro sindical fique subordinado à secretaria que vai cuidar do trabalho”, explicou o líder do governo no Senado.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 21 maio, 2019

    Falta de quórum impede votações no plenário da Assembleia Legislativa do Estado

    Pela segunda semana seguida, não houve votações no plenário da Assembleia Legislativa. Nenhuma das matérias ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 20 maio, 2019

    Dívida do Estado do RS com saúde dos municípios será paga em 16 parcelas

    Em visita à sede da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 19 maio, 2019

    Lula está apaixonado e vai se casar

    O ex-ministro Luiz Carlos Bresser-Pereira afirmou no sábado, em uma publicação em suas redes sociais, ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.