Preso mentor e autor de dois homicídios que abalaram região Noroeste

NULL
Lucas de Campos 8 junho, 2015 Fonte:

O mentor de dois dos crimes mais violentos e com requintes de crueldade dos últimos meses no noroeste gaúcho foi preso preventivamente neste domingo em Lajeado, no Vale do Taquari. Adelar Duarte, 46 anos, é suspeito de planejar, torturar e assassinar a ex-companheira dele, Cláudia Cristina de Jesus, 43, e o namorado dela, o mestre de obras Angelin Della Flora, 57. Os crimes ocorreram em dezembro do ano passado em Cruz Alta e Ijuí, respectivamente.
Duarte tinha dois mandados de prisão preventiva expedidos contra ele pela Justiça (um para cada caso) e estava foragido desde a época dos crimes. Segundo a Polícia Civil, nesse período, ele teria passado pelo oeste catarinense e por Passo Fundo e foi localizado na casa da filha dele em Lajeado, onde teria chegado no último sábado.Os delegados Rafael dos Santos, da 2ª Delegacia de Polícia (DP) de Cruz Alta, e Maurício Posselt, da 1ª DP de Ijuí, responsáveis pelas investigações — cada crime foi apurado em sua cidade de origem  —, vão pedir à Justiça que encaminhe Duarte para Cruz Alta, onde tramita o processo, para que ele seja interrogado. Ambos os delegados dizem que as circunstâncias dos crimes já foram esclarecidas, mas o suspeito pode indicar se houve a participação de mais alguma pessoa. Três homens que teriam ajudado no assassinato do mestre de obras já haviam sido presos à época. Uma quinta pessoa ainda permanece foragida. A Polícia Civil não revela os nomes.Os três envolvidos e Duarte foram indiciados pela Polícia Civil em Ijuí pelos crimes de cárcere privado, tortura, homicídio qualificado, ocultação de cadáver e associação criminosa pela morte de Angelin. Duarte ainda foi indiciado por receptação porque ocarro usado para cometer o crime era roubado.Duarte foi indiciado também pela Polícia Civil em Cruz Alta por tortura e homicídio qualificado (por asfixia) pela morte de Cláudia.

Os crimes – Os inquéritos policiais apuraram que, mesmo estando (em tese) em prisão domiciliar em Giruá, também no noroeste do Estado, Adelar Duarte foi a Cruz Alta, na casa da ex-companheira, onde a torturou e a matou. O corpo foi encontrado em 10 de dezembro de 2014, dentro da residência. O motivo seria uma suposta traição.Depois disso, Duarte teria ido para Ijuí e teria passado a monitorar Angelin. Ele teria planejado a morte da vítima e contratado pelo menos quatro pessoas para ajudá-lo. O grupo teria sequestrado Angelin em Ijuí, no dia 15 de dezembro de 2014, e levado para Cruz Alta, onde foi amarrado em uma árvore, torturado e morto. O corpo da vítima foi encontrado quatro dias depois, no lago da barragem de Passo Real, em Salto do Jacuí.A partir das investigações, as delegacias dos dois municípios passaram a trabalhar em conjunto. Foram autorizadas e realizadas buscas em uma chácara onde Duarte estaria escondido. No local, foi apreendida uma filmadora que continha vídeos mostrando as agressões a Angelin.Os dois inquéritos foram reunidos em um mesmo processo que tramita na Justiça em Cruz Alta.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.