Prefeitura vai pedir ao MS autorização para implantar postão na UPA

NULL
Lucas de Campos 20 abril, 2015 Fonte:

Em ofício encaminhado ao prefeito de Santo Angelo, Valdir Andres a direção do Hospital Santo Angelo informou que a suspensão do repasse para a prestação dos serviços de urgência e emergência prejudicará o atendimento na instituição hospitalar. O documento é uma resposta a ofício enviado pelo prefeito em 10 de fevereiro. Na correspondência, o prefeito questiona a diretoria do Hospital Santo Ângelo se a suspensão do convênio com a prefeitura para o setor de emergência causaria prejuízo na prestação dos serviços de urgência e emergência. No ofício a prefeitura destaca que o recurso referente a este repasse seria utilizado para o início das atividades da Unidade de Pronto Atendimento localizada no bairro Pipi. Na resposta a diretoria do Hospital informa que os hospitais filantrópicos vem encontrando sérias dificuldades para manter todos os serviços. NO ofício o hospital destaca que os recursos repassados mensalmente pelo município para os atendimentos de urgência e emergência, incluindo exames e assistência médico-hospitalar em diferentes especialidades, são de vital importância para a instituição. Sem os recursos, a população santo-angelense, conforme é citado no ofício, acabará perdendo em atendimento a saúde. O prefeito Valdir Andres disse que uma das alternativas em relação a UPA será pedir permissão ao Ministério da Saúde, para que a estrutura seja utilizada para funcionar como um postão de saúde. Ele acentua, no entanto, que a questão deverá ser profundamente debatida. Andres lembrou que o Tribunal de Contas do Estado já antecipou que com a abertura da UPA, apontar-se-ia a impossibilidade manutenção de repasses para o funcionamento de duas emergências.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.