Policial que matou surfista já teve dia de herói em Joinville

NULL
Lucas de Campos 23 janeiro, 2015 Fonte:

Em abril de 2010, soldado salvou criança que estava se afogando com o leite da mãe

Em seis anos de carreira, Luis Paulo Mota Brentano, 25, policial acusado de ter atirado no surfista profissional Ricardo dos Santos, já teve seu dia de herói. No dia 28 de abril de 2010, o soldado salvou uma criança que estava se afogando com o leite da mãe, em Joinville. Luiza Vitória Mendes, que na época tinha dois anos, sobreviveu porque os pais acionaram a PM quando a filha já estava sem ar. Mota e mais um soldado reanimaram a menina e ele visitou a família depois do ocorrido.

O Notícias do Dia cobriu o fato. As imagens da capa e da página 5, onde a história é relatada, tem circulado na internet. Além disso, para quem é próximo ao soldado, a versão de que Mota atirou para assustar o surfista não é tão absurda. Em entrevista ao Notícias do Dia, um vizinho e amigo de longa data do soldado afirma que ele não agia como alguém violento. “Eu cresci com ele, sou amigo dele há mais de 20 anos e ele sempre foi uma pessoa muito boa. Aqui na vizinhança ele sempre ajudou todo mundo que precisava, nenhuma reclamação”, disse o vizinho que preferiu não se identificar.

Mota, que agora está preso no 8º BPM, sempre morou com os pais, em uma casa simples. Na rua, uma viatura da Polícia Militar está de plantão. É uma forma de evitar que a família sofra represálias pelo que aconteceu. “Eles estão com medo pela quantidade de amigos que o surfista tinha”, disse o amigo e vizinho do militar.

Se para quem era próximo a Ricardinho a imagem de proteção que geralmente é ligada a um policial ficou deturpada, para quem conhece Mota, ela se mantém ilesa. “Pelo que eu conheço posso dizer que ele deve ter atirado para assustar mesmo, como ele disse. Ele deve ter tentado proteger o irmão, porque eles eram bem ligados”, comentou o amigo e vizinho.

Fonte: http://ndonline.com.br

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.