PM que desapareceu após ser feito refém é encontrado morto no Sul do Estado

NULL
Lucas de Campos 12 março, 2015 Fonte:

Eduardo Silva Júnior, 21 anos, foi amarrado e assassinado em um canavial

O corpo do policial militar Eduardo Silva Júnior, 21 anos, foi encontrado na manhã desta quarta-feira (11), em um canavial no interior de Itapemirim, no Sul do Estado.

Eduardo estava desaparecido desde a noite desta terça-feira (10) após ter sido vítima de um suposto sequestro relâmpago em Itapemirim, no Sul do Estado. O carro do PM, um Corolla, foi encontrado incendiado no município de Vargem Alta, na madrugada desta quarta-feira (11).

As primeiras informações dão conta de que três criminosos pediram a um taxista, que atua na praça Jerônimo Monteiro, em Cachoeiro de Itapemirim, uma corrida até o bairro União. Nas proximidades de um posto de combustível desativado, mais dois bandidos entraram no táxi e anunciaram o assalto. Eles disseram ao taxista que pretendiam roubar outro carro, um Toyota Corolla ou Honda Civic.

Ao chegarem em Marataízes, os bandidos abordaram o soldado da PM, que estava em um Corolla. No entanto, descobriram que ele era policial e fizeram ele refém. Por volta das 22h40, o taxista ligou para a polícia informando o crime, disse que havia sido abandonado no bairro Garrafão, em Itapemirim, e que os bandidos estavam com um refém em um Corolla.

Por volta de 0h45, o tio do policial entrou em contato com a polícia informando o desaparecimento do sobrinho. Às 3h25, uma pessoa também entrou em contato com a PM informando que um carro estava pegando fogo no município de Vargem Alta.

Desde então o policial não foi encontrado. A perícia da Polícia Civil foi até o local para examinar o veículo. Depois de receber informações de que um corpo havia sido encontrado em Itapemirim, policiais foram até o local e constataram que era o de Eduardo. A vítima estava amarrada e com várias marcas de tiro no rosto.
Investigação
 
Por meio de nota, a Polícia Civil informou que ainda não tem a motivação do crime e a ocorrência continua sob investigação, coordenada pelo delegado Renato Barcellos Perin, titular da Delegacia de Marataízes. Por enquanto, o delegado não se manifestará, adiantando apenas que o veículo do militar já foi periciado.
 
Fonte: http://gazetaonline.globo.com
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.