Pitbull ataca, mata e arrasta corpo de mulher por 10m, em Canoas

NULL
Lucas de Campos 23 março, 2015 Fonte:

Animal foi atingido por dois tiros após matar a mulher, em Canoas.

O ataque de um pitbull que resultou na morte de uma mulher de 65 anos, na tarde deste domingo, em Canoas, ocorreu quando o filho da vítima, 33 anos, que era o dono do cachorro, havia saído para comprar o almoço.

Quando ele retornou encontrou a sua mãe caída no pátio, ensanguentada. A Polícia Civil suspeita que o homem tenha efetuado dois disparos contra o animal.

O neto dela estava de serviço na sala de operações do BPM. O PM foi dispensado. A tragédia ocorreu no pátio da casa da vítima situada no bairro Mathias Velho.

A mulher, identificada pela Polícia como Ione Irene Smolarki de Souza, estava sozinha na residência no momento do ataque do cão. Ione foi encontrada com um rodo na mão. A Polícia acredita que o objeto foi usado para tentar afastar o animal.

Entretanto, isto pode ter irritado o cão. Conforme o delegado Pablo Queiroz Rocha, plantonista da Delegacia de Polícia de Pronto atendimento (DPPA) de Canoas, a cena encontrada no local foi estarrecedora.

O cão, conforme o delegado, arrastou o corpo da mulher por cerca de 10 metros. Rocha afirmou que quando chegou na casa da vítima, encontrou o animal trancado no canil e ferido.

Ferimentos graves

De acordo com os peritos do Instituto-Geral de Perícias (IGP) o cão atacou a mulher no tórax. Em seguida, o pitbull mordeu o pescoço da vítima. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ir no local, mas ela não resistiu aos ferimentos.

“A partir de conversas com os vizinhos, descobrimos que a vítima usava um rodo para afastar o animal”, contou o policial. “O ataque foi extremamente feroz, deixando lesões profundas no pescoço que resultaram na morte da mulher”, comentou Rocha.

De acordo com o delegado, os vizinhos relataram que o filho, dono do cão, costumava dar choques no animal. Durante o atendimento da ocorrência, os policiais encontraram um simulacro de pistola e uma arma de choque. “O simulacro tem um estampido muito forte, capaz de assustar o animal”, analisou o delegado.

“O animal pode ter feito uma relação do rodo com os maus tratos e atacou”, comentou o delegado. A arma utilizada para atingir o cão não foi encontrada. O cachorro foi levado ainda com vida por uma ONG.

Canil tinha boa estrutura

Segundo a Polícia, a estrutura do canil era suficiente para conter o cão. No entanto, as cercas ao redor do terreno eram baixas e não impediam a fuga do cão. Vizinhos relataram que o pitbull já havia pulado para o pátio da casa ao lado, onde há outros cães, e uma nova estrutura foi colocada a fim de evitar que acontecesse novamente.

Um inquérito foi aberto para investigar o que pode ter motivado o ataque do cachorro. Cão já havia assustado vizinhos. O clima no local era de tristeza. Os parentes não acreditavam no ocorrido.

Em frente à casa, familiares pouco se falavam. A placa na grade que cerca o terreno já alertava para a presença de um cão feroz no terreno. Na calçada, muitos moradores das cercanias contavam os sustos que já levaram ao passar em frente à residência e encontrar o cão na parte da frente do jardim.

Fonte: Portal Correio do Povo

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.