Os pais devem estabelecer limites às crianças, diz psicopedagoga Carina Streda

Sepé Tiaraju 28 outubro, 2018 Fonte: A Tribuna

A longa exposição de crianças a aparelhos celulares podem causar problemas no desenvolvimento neuropsicomotor. De acordo com a psicopedagoga, Carina Streda, essa é uma preocupação constante dos profissionais que se deparam com essa nova realidade.

“Cada vez mais crianças pequenas com menos de dois anos já estão tendo contato com esses aparelhos. Muitas vezes, os país deixam elas terem contato, pois os celulares acabam acalmando as crianças. Isso torna tudo mais cômodo”, diz Carina.

Segundo ela, o celular, o tablete, o computador e a própria televisão acabam capturando a criança que fica completamente passiva em frente a esses aparelhos. “Ao invés das crianças brincarem, morder ou jogar o brinquedo, interagindo, acabam paradas em frente aos aparelhos completamente distraídas com as imagens. O equipamento faz tudo para a criança que fica estática. Isso acaba sendo prejudicial, principalmente para as crianças com menos de dois anos. Essa é a fase que os pequenos aprendem a balbuciar e desse forma aprender a falar. Penso que nesta faixa etária os pais deveriam evitar que os pequenos mexessem nestes aparelhos.”

A psicopedagoga também explica que em relação às crianças na faixa etária acima dos dois anos, o acesso pode ser permitido mas com limites. “Nesta etapa os vídeos de desenhos, na maioria das vezes, não tem função pedagógica, mas apenas cumpre o papel de entretenimento. As crianças precisam de tempo para brincar, agir, se movimentar, para o pleno desenvolvimento. Os aparelhos de celulares se tornam ferramentas de pesquisa apenas para as crianças maiores”.

PROBLEMAS

Carina conta que há casos de crianças que ficam por muito tempo em frente a aparelhos com problema de coluna em virtude da má postura, assim como tem pequenos com agitação do sono justamente por acessar aparelhos antes de dormir. “A criança acaba não conseguindo relaxar para dormir. A luz do aparelho emite sinais ao cérebro, deixando a criança em alerta”, diz Carina Streda.

ORIENTAÇÕES

A profissional orienta os pais que estabeleçam limites de tempo para seus filhos pequenos. “Ele devem brincar, correr, interagir com outras crianças”. Também ressalta que os país precisam selecionar o conteúdo acessado pelos filhos e estarem alertas principalmente a determinados tipos de desenhos. “Antes de dar um aparelho celular, os pais devem conversar e saber o nível de maturidade da criança, principalmente no que se refere à responsabilidade.”

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 16 dezembro, 2018

    Dois mortos e dois feridos em colisão frontal na ERS 239 em Rolante

    Duas pessoas morreram e outras duas ficaram feridas em um acidente ocorrido por volta das ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 15 dezembro, 2018

    MP apura denúncias de seis países diferentes contra João de Deus

    A força-tarefa criada pelo Ministério Público de Goiás (MPGO) apurou denúncias de abuso sexual contra ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 15 dezembro, 2018

    COP25 será realizada no Chile em 2019

    O Chile será o país-sede da Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas, a ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.