Município teve o maior prejuízo em todo o RS

NULL
Lucas de Campos 28 outubro, 2015 Fonte:

A secretária de Educação de Santo Ângelo, Rosa Maria de Souza, participou nesta quarta-feira, 28, de reunião na Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) sobre a situação do transporte escolar. O encontro foi coordenado pelo presidente da Famurs, prefeito de Candiota, Luiz Carlos Folador e pelo presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime/RS), o secretário de Educação de Rio Grande, André Lemos da Silva.

Conforme pesquisa realizada pela Famurs as prefeituras gaúchas tiveram prejuízo de R$ 80,3 milhões com o transporte escolar de alunos do Estado em 2014. O estudo, elaborado em parceria com Undime/RS, apontou que o problema afeta 85% dos municípios do Rio Grande do Sul. O levantamento foi realizado entre agosto e outubro de 2015 e contou com as respostas de 380 das 481 prefeituras gaúchas que possuem convênio do transporte escolar com o Estado.

Os prefeitos reclamam que os recursos repassados pelo Piratini são insuficientes para manter o serviço.

Em 2014, os municípios receberam R$ 98 milhões do governo para transportar os estudantes da Rede Estadual de Ensino. Um investimento médio de R$ 630 para cada um dos 155 mil alunos do Estado. No entanto, o valor efetivamente gasto pelas prefeituras com o transporte escolar foi de R$ 1.161 por aluno, totalizando uma despesa de R$ 178 milhões no ano passado.

Para 2016, o Estado prevê um investimento de R$ 105 milhões no transporte escolar. A Famurs considera o valor insuficiente e propõe uma emenda no valor de R$ 80 milhões, totalizando uma verba de R$ 185 milhões.

Situação de Santo Ângelo é insustentável

Entre os municípios pesquisados, Santo Ângelo acumula o maior prejuízo no transporte escolar. O município teve, em 2014, um déficit de quase R$ 1,7 milhão com o transporte escolar de alunos do Estado. Na época, a prefeitura transportava 981 alunos da Rede Municipal de Ensino e 1.020 da Rede Estadual de Ensino.

O prefeito Valdir Andres destacou que a situação atual é insustentável. “É impossível manter o convênio nos moldes atuais”.

A Prefeitura de Sato Ângelo notificará o governo do Estado no final deste ano. “Diante da crise, o município não terá recursos. Será preciso suspender o transporte escolar para alunos do Estado”, adverte.

Em Caxias do Sul, também em 2014, o déficit com o transporte escolar foi de R$ 1,6 milhão. Entre os municípios com maior prejuízo neste setor estão Santa Rosa, Erechim, Marau, Bento Gonçalves, Venâncio Aires, São Gabriel e Ijuí.

 

OS MAIORES DÉFICITS DO ESTADO

Município

Déficit

Santo Ângelo

R$ 1.693.638,26

Caxias do Sul

R$ 1.617.301,41

Santa Rosa

R$ 1.525.161,49

Erechim

R$1.354.399,60

Marau

R$ 1.184.442,39

Bento Gonçalves

R$ 1.116.623,52

Venâncio Aires

R$ 1.022.901,83

São Gabriel

R$ 1.014.634,62

Ijuí

R$ 977.130,48

 

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.