MP quer impedir retorno de três líderes de facção criminosa para o RS

Sepé Tiaraju 1 agosto, 2018 Fonte: Correio do Povo

O retorno de três criminosos ao Rio Grande do Sul poderá ser barrado pelo Ministério Público do Estado. Eles hoje estão recolhidos na Penitenciária Federal de Mossoró, Rio Grande do Norte. O MP vai acionar o Ministério Público Federal e busca a reversão da decisão da Justiça Federal do RN.

O Ministério Público reitera a necessidade da manutenção desses líderes de facções em penitenciárias federais de alta segurança. Em um contexto de 27 presos que foram transferidos durante a Operação Pulso Firme, o MP considera natural que em alguns casos haja divergência e irá buscar todas as medidas jurídicas cabíveis para reverter a decisão da Justiça Federal de Mossoró.

Os três detentos gaúchos que estão na Penitenciária Federal de Mossoró são conhecidos por envolvimento com facções. Um deles é Fábio do Gás, de 39 anos, que comanda o tráfico de drogas em Rio Grande – ligado à facção Os Manos. O segundo criminoso é Camarão, de 40, um dos líderes da quadrilha dos Tauras que é aliada da facção Os Manos. Ele tem envolvimento, inclusive, no assassinato de um policial civil em Cachoeira do Sul em 2011. Já o terceiro é Tiago Pasteleiro, de 32, também uma das lideranças da quadrilha dos Tauras. Ele arquitetou um plano de fuga em agosto de 2017 do Presídio Regional de Pelotas.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 22 outubro, 2018

    Veículo capota após atropelar um cavalo na ERS 342 em Ijuí

    Um veículo capotou na ERS 342 depois de atropela um cavalo, na noite de domingo ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 21 outubro, 2018

    Agricultor morre em acidente com trator no interior de Panambi

    No final da tarde de sábado, o agricultor Nelson Lursen, de 75 anos, trabalhava sozinho ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 20 outubro, 2018

    Bebê de sete meses é torturado pelo pai em Saldanha Marinho

    Na quinta-feira, 18, a Brigada Militar atendeu uma ocorrência de tortura de bebêem Saldanha Marinho. No ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.