Lucas Lima: governo do PDT faz economia em cima do funcionário público

Vereador critica propostas que visam alterar alíquotas do Fundo de Aposentadoria dos servidores e diminuir alíquotas
Lucas de Campos 14 dezembro, 2017 Fonte:

Os dois projetos que tramitam na Câmara de Vereadores de Santo Ângelo e que tratam sobre o Fundo de Aposentadoria e Benefício dos Servidores (FABS) do município seguem causando polêmica. Nesta quinta-feira, 14, em entrevista aos comunicadores Paulo Renato Ziembowicz e Hogue Dorneles, durante o programa Aldeia Global, da Rádio Sepé – AM 540 –o líder da Bancada do PMDB, no Poder Legislativo, vereador Lucas Lima (PMDB) destacou algumas contradições que cercam as propostas.

O Projeto de Lei (PL) 65 prevê a redução das alíquotas especiais do FABS de 36% para 28% em 2018 e o PL 84 propõe o pagamento das dívidas do atual governo em 36 parcelas a contar de 20 de janeiro de 2018. O débito da administração com o FABS ultrapassa os R$ 4,3 milhões, em virtude da falta de repasse em agosto, setembro, outubro e novembro.

O vereador Lucas Lima disse que a situação é preocupante. “Em menos de um ano de mandato, o atual governo já pede um parcelamento de quatro meses e aí há um contrassenso muito grande, pois ao mesmo tempo em que se pede um parcelamento se constata gastos exorbitantes, naquilo que talvez seria desnecessário”, explicou.

Ainda de acordo com Lucas ao contrário do que se vê no país inteiro e nos municípios, em Santo Ângelo anda-se na contramão sempre. “O Poder Executivo quer fazer uma economia em cima do funcionalismo público ao mesmo tempo em que um prédio alugado em março e ocupado somente em dezembro custou para os cofres do município mais de R$ 140 mil”, ressaltou Lucas, acrescentado que o imóvel trata-se do espaço onde está instalado o Espaço do Cidadão.

Segundo Lucas, é uma prática dos governos do PDT. “Ao me aprofundar no assunto descobri que os governos do PDT fazem economia à custa do funcionário público”, frisou. Nos oito anos de mandato do atual deputado estadual, Eduardo Loureiro, como prefeito de Santo Ângelo foram cinco parcelamentos dos repasses do FABS.

– E agora em menos de um ano de governo do prefeito Jacques Barbosa mais um parcelamento, ou seja, em nove anos do governos do PDT foram seis parcelamentos -, justificou.

Com relação à redução da alíquota Lucas destacou que esta é uma política eleitoreira, que busca recursos para o próximo ano que é de eleição. “Estão tentando descontar no funcionário, ao invés de cortar gastos”.

 

Foto: AI Câmara de Vereadores

 

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.