Legislativo pediu ao Executivo devolução do projeto que criava 16 CCs sem concurso

NULL
Lucas de Campos 4 fevereiro, 2015 Fonte:

Ganha repercussão em nível estadual a decisão da Câmara de Vereadores de Santo Ângelo em criar 16 novos cargos de confiança, sendo 15, como assessor parlamentar e outro para a área jurídica.

O assunto além de ser notícia na imprensa local e gaúcha, está provocando uma série de comentários nas redes sociais, onde boa parte dos moradores está se manifestando e demonstrando contrariedade ao fato criado pelos vereadores.

E na manhã de hoje, diante do grande número de comentários negativos contra os membros do Poder Legislativo, o presidente da Casa, vereador Nader Hassan Awad encaminhou um oficial ao prefeito Valdir Andres, solicitando a devolução do projeto aprovado por maioria na segunda-feira.

A justificativa é que a presidência detectou possíveis falhas no processo legislativo, onde teriam sido descumpridas normais regimentais em sua tramitação. A intenção do presidente da câmara é a imediata devolução do projeto para revisão de seu tramite regimental.

Com essa nova ação tomada pelo Legislativo, fica evidente que a presidência da Casa, juntamente com os demais 10 vereadores que aprovaram o aumento de CCs, recuou diante da repercussão negativa que o assunto tomou junto aos eleitores, manchando a imagem da Câmara municipal.

Hoje pela manhã no programa Aldeia Global, o presidente da subseção local da OAB, advogado Itaguaci Meirelles Correa, indagou sobre os princípios jurídicos do projeto, especialmente no que se refere o respeito aos processos legais de tramitação da matéria.

Itaguaci Meirelles frisou que a sociedade também possui responsabilidade, pois foi ela quem legitimou a presença dos vereadores no parlamento. Por fim ressaltou que a partir da decisão errada dos representantes da comunidade na câmara de Santo Ângelo, é importante que ocorra a recuperação de diversos paradigmas éticos.

Quem também demonstrou indignação com a decisão da maioria dos vereadores foi o presidente da Intersindical, o dirigente Almiro Copetti. Deixou claro que o movimento sindical de Santo Ângelo é contra a criação de 16 novos CCs e que cada entidade irá se manifestar sobre o tema.

Copetti ressaltou que como o projeto não foi amplamente debatido com a comunidade, assim como também internamente entre os demais vereadores, existe a necessidade de uma manifestação popular em frente ao prédio do Poder Legislativo.

Segundo ele, está claro que a intenção da maioria dos vereadores foi de levar vantagem na indicação de mais um assessor parlamentar, provocando uma imensa insatisfação da população que não aceita mais a malversação do dinheiro público.

O vereador Diomar Formenton-PT utilizando-se da rede social Facebook, fez uma postagem onde conclama a mobilização popular e de entidades para que se busque perante o Ministério Público e o Poder Judiciário, uma ação que caracterize a ilegalidade do projeto.

 

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.