Justiça solta empresários suspeitos de fraudar derivados de leite

Trio de sócios de empresa de Três de Maio está denunciado por vender produto adulterado e também por subornar autoridades encarregadas da fiscalização
Lucas de Campos 29 junho, 2015 Fonte:

A Justiça Estadual soltou, na tarde de sábado, três pessoas presas na Operação Queijo Compen$ado, deflagrada no dia 16 de junho pelo Ministério Público Estadual. Elas são investigadas por fraude na produção de queijo. A libertação aconteceu um dia após promotores de Justiça protocolarem denúncia contra dez pessoas, por falsificação do produto e corrupção.A soltura foi ordenada pelo juiz Daniel Paiva, de Três de Maio, cidade onde fica a Laticínios Progresso, fábrica-alvo da investigação. Foram soltos Eduardo André Ribeiro, que estava no presídio de Santa Rosa, Volnei Fritsch e seu filho Pedro Felipe Fristsch, presos em Ivoti (onde funcionava uma distribuidora da fábrica) e que estavam recolhidos no presídio de Montenegro.Os três presos são sócios da empresa Laticínios Progresso e responderão processo criminal por formação de quadrilha, adulteração de produtos alimentícios, corrupção ativa e passiva e falsidade ideológica.Juarez Antonio da Silva, advogado do trio de empresários, alegou que não havia necessidade de manter seus clientes presos, até porque estão empregados e não configuram ameaça ao processo. Ele admite que possa ter ocorrido mau acondicionamento de queijo, mas diz que a indústria não pode ser a única responsabilizada por problemas no produto. Um dos argumentos da defesa é que os derivados de leite sofrem mudanças ao longo do processo de fabricação, transporte e armazenamento.— Se ocorreram irregularidades, foi por negligência, nada premeditado – argumenta Silva.Os três empresários e outras sete pessoas vão responder ao processo em liberdade.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.