Ex-presidente do sindicato dos municipários é favorável a aprovação do projeto do FABS

Votação do projeto do Fabs em Santo Ângelo
Lucas de Campos 30 março, 2016 Fonte:

O ex-presidente do Sindicato dos Municipários, Volmari Carneiro, lamentou a decisão do Sindicato dos Professores Municipais de abrir mão do reajuste salarial proposto pelo prefeito Valdir Andres para não mexer na alíquota do pagamento de parcelas da dívida do FABS deixada pelo governo de Eduardo Loureiro.

“A gente entende que a situação do professores é diferente dos demais servidores do quadro geral. Acredito, porém, que pelo fato desse projeto não alterar os índices de repasse da parte patronal e também dos servidores, não vejo problema. Espero que os vereadores se sensibilizem com os servidores e aprovem esse projeto”, frisou.

O líder sindical Volmari Carneiro, fez uma retrospectiva do Fundo de Aposentadoria dos Servidores. Na sua avaliação, o Fabs começou com alíquotas muito baixas na comparação com a própria previdência pública.

Recordou que no governo de Adroaldo Loureiro, de 1993 a 1996 houve o primeiro empréstimo do Fabs. “Na época nós do sindicato fomos favoráveis, pois a situação econômica da prefeitura era de dificuldades e precisávamos de reposição salarial”, disse Volmari.

Já no governo Lima, o dirigente sindical afirmou que ele não recolheu a parte patronal pelo período de três anos, o que praticamente zerou o fundo, criando um passivo enorme de recursos.

Junto ao governo de Eduardo Loureiro, houve a efetivação do calculo atuarial da alíquota do Fabs, assim como também um empréstimo a prefeitura no mês de dezembro de 2012 e a devolução de dinheiro pela prefeitura devido a utilização de recursos do fundo para benefícios aos aposentados, conforme apontamento do Tribunal de Contas.

Na ocasião, disse Volmari Carneiro, o sindicato dos municipários não foi consultado pelo ex-prefeito Eduardo, assim como também não houve consulta ao conselho gestor do Fundo.

Diz ele, que o projeto simplesmente foi encaminhado para a câmara de Vereadores, onde os edis acabaram aprovando o parcelamento, que inclusive está sendo pago pelo atual prefeito Valdir Andres, em valores que chegam próximos aos 15 milhões de reais.

O ex-presidente do sindicato dos municipários, diz que ainda hoje estará conversando com vereadores na tentativa de chegar a um entendimento, pois o prazo final de votação pela câmara é na sexta-feira, e a grande decisão dos servidores é de que aconteça a aprovação do projeto do Fabs e posteriormente do aumento salarial.

O projeto encaminhado pelo município prevê redução do índice do que deixou de repassar o governo anterior, uma medida que garantirá reajustes de 7% em abril, 4% em dezembro e mais aumento de 68% do bônus alimentação – passando de R$ 163 para R$ 274.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.