Em Santa Maria e Três Passos, atividades marcarão um ano da morte de Bernardo

NULL
Lucas de Campos 4 abril, 2015 Fonte:

Sábado, data que marca um ano do assassinato de Bernardo Uglione Boldrini, o túmulo do menino no Cemitério Ecumênico Municipal de Santa Maria ganhará novas flores. Elas também cobrirão as grades da casa onde ele morava em Três Passos. Os locais se tornaram pontos de visitação e orações. Cartazes e banners vindos de diversas cidades serão carregados em uma procissão luminosa pelas ruas do município do noroeste gaúcho. Por lá e no Coração do Rio Grande, celebrações religiosas também renderão homenagens ao menino.A morte prematura do garoto meigo e de sorriso triste revelou ao país a crueldade dos seus algozes _ segundo a polícia, o pai, Leandro Boldrini, e a madrasta, Graciele Ugulini. Ambos estão presos preventivamente e respondem a processo por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Edelvânia Wirganovicz, amiga da madrasta, e o irmão dela, Evandro Wirganovicz, são réus no mesmo processo pelos mesmos crimes. Conforme a denúncia, Bernardo foi morto com uma injeção letal e enterrado em um matagal em Frederico Westphalen em 4 de abril de 2014.Mas a investigação mostrou mais do que uma morte cruel, apontou que, nos anos subsequentes à morte da mãe, Odilaine Uglione Boldrini, em 2010, o menino foi vítima de negligência familiar e abandono. Ele denunciou e queria uma nova família. O caso chegou à Justiça. Mas, um acordo com o pai, manteve Bernardo com Boldrini e Graciele.A morte do menino motivou discussões sobre a rede de atendimento a crianças e adolescentes e trouxe mudanças. No âmbito federal, a chamada Lei da Palmada foi sancionada com nome de Lei Menino Bernardo em junho do ano passado. Em Três Passos, o sistema de acolhimento ganhou reforço. A ONG Lar Acolhedor, criada naquela cidade para abrigar crianças de 0 a 12 anos vítimas de maus-tratos, abusos ou por encontrar-se em situação de risco tem uma nova sede, com mais estrutura. A inauguração foi em outubro de 2014. À época da morte de Bernardo, em fevereiro de 2014, o lar abrigava 7 crianças. De lá para cá, a demanda de encaminhamentos da Justiça em Três Passos triplicou. Na quinta-feira, havia 20 abrigados. Segundo a vice-presidente do lar e amiga de Bernardo, Tayná Petry, um efeito da morte do menino:

_ As pessoas estão denunciando negligências e abandonos como o do Bernardo.

Rua Menino Bernardo

Na segunda-feira, será votada na Câmara de Vereadores de Três Passos, a proposta que dá nome de Rua Menino Bernardo à via onde foi construída a nova sede do Lar Acolhedor.

Enfrentando problemas cardíacos e já tendo sido hospitalizada diversas vezes, a avó materna de Bernardo, Jussara Uglione, 74 anos, encontra forças nas homenagens, nos amigos e nas orações que faz ao neto e à filha.
_ Me sinto perto dele quando vou ao cemitério. Vou sempre. Peço que ele (Bernardo) me cuide. Me sinto bem. Ele é um anjinho _ disse a avó emocionada.

HOMENAGENS

Em Três Passos

Sábado
– 10h _ Vigília em frente à casa onde Bernardo morava, na Rua Gaspar Silveira Martins (haverá tendas no local)

Domingo
– 19h _ Missa na Igreja Matriz Santa Inês, na Praça Reneu Geraldino Mertz
– Após a celebração, será realizada procissão com velas e banners com fotos enviadas por grupos de amigos do Bernardo de vários locais do país

Segunda-feira
– Câmara de Vereadores de Três Passos vota a proposta que dá nome de Rua Menino Bernardo à via onde foi construída a nova sede do Lar Acolhedor, que abriga crianças em situação de risco encaminhadas pela Justiça na cidade

 

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.