Diretor da URI Santo Ângelo manifesta preocupação com futuro do FIES

NULL
Lucas de Campos 6 maio, 2015 Fonte:

O Ministério da Educação não tem dinheiro para assinar novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil-Fies neste semestre. Esse anuncio está provocando extrema preocupação não só para os acadêmicos e seus familiares, mas especialmente nas instituições filantrópicas como é o caso da URI e IESA, em Santo Ângelo.Em entrevista hoje pela manhã no programa Aldeia Global, o diretor da Universidade Regional Integrada, Gilberto Pacheco lamentou esse anuncio e mostrou preocupação com a situação de muitos alunos que dependem do financiamento para estudar.Lembrou que o Fies, programa do Ministério da Educação é destinado a financiar a graduação na Educação Superior de estudantes de baixa renda matriculados em instituições não estatais.Segundo Pacheco, em 2014, 700 mil estudantes foram beneficiados com o financiamento em todo o Brasil, sendo que para o primeiro semestre deste ano o governo federal só vai beneficiar 252 mil. Só no Rio Grande do Sul foram 37 mil estudantes no ano passado beneficiados com o Fies, número que não chegará a 20 mil agora em 2015.Além disso, diz o diretor que anualmente a URI campus de Santo Ângelo apresenta uma demanda de 500 acadêmicos que buscam o financiamento. Atualmente são 200 jovens confirmados e outros 50 que estão na expectativa de efetivarem o contratoGilberto Pacheco, explicou que hoje 60% dos estudantes da URI dependem do financiamento estudantil, enquanto outros 20% são bolsistas através do ProUni, enquanto somente outros 20% pagam integralmente seus estudos O diretor espera que o drama do Fies seja algo temporário e que se retome a normalidade diante do anúncio da presidente Dilma Rousseff, de o seu segundo mandato possui como meta integral de ser uma “Pátria Educadora” Na busca de soluções para evitar uma futura evasão, Gilberto Pacheco procurou tranqüilizar os acadêmicos para que concluam o semestre que termina no próximo mês. Frisou que ele próprio já esteve reunido com as gerencias do Banco do Brasil, Caixa Economica Federal e Bansicredi, na busca de um financiamento próprio aos estudantes. Outra alternativa, garantiu o diretor é a retomada do financiamento próprio da universidade através do ProURI. Ao final da entrevista o diretor Gilberto Pacheco disse que a URI têm sido parceira dos governos, nos seus níveis Federal, Estadual e Municipal, na oferta de cursos superiores com qualidade e reconhecimento nacional, visando ao desenvolvimento da região e apoiando o cumprimento republicano das políticas públicas na área da educaçãoNo entanto, o governo, ao mudar as regras para concessão do Fies aos estudantes universitários, sem prévio diálogo com as universidades comunitárias, não considerou toda a contribuição histórica dessas universidades para o desenvolvimento do ensino superior brasileiro.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.