“Diálogos sobre Imigração” promovido pela URI reúne parceiros e imigrantes

Sepé Tiaraju 17 outubro, 2018 Fonte: URI Santo Ângelo

Na noite de quarta-feira, 10,  aconteceu na URI Santo Ângelo a atividade “Diálogos sobre Imigração”, coordenada pelos professores doutores Osmar Veronese e Rosângela Angelin, e teve a participação de estudantes da graduação, mestrado e doutorado em Direito, bem como da sociedade civil. O evento foi promovido pelo Grupo de Pesquisa “Direitos de Minorias, Movimentos Sociais e Políticas Públicas”, projeto de pesquisa “Estado, Constituição e Diferença: olhar sobre a diversidade no Constitucionalismo” e projeto de pesquisa “Direitos Humanos e Movimentos Sociais”, todos vinculados ao PPGD – Mestrado e Doutorado em Direito, e pelo curso de graduação em Direito.

A proposta dessa atividade abrangeu dois momentos: explicar a legislação sobre imigração no Brasil e apresentar possíveis contribuições da URI e de grupos parceiros, em prol dos imigrantes, além de compreender melhor a situação de imigrantes que vivem em Santo Ângelo, ouvindo suas dúvidas e dificuldades.

Assim, a exposição sobre legislação, assessoria e serviços prestados contou com a participação do Núcleo de Práticas Jurídicas da URI; do agente da Polícia Federal, Everton Brzuska, que falou sobre documentação; da enfermeira Daniana Pompeo, da Secretaria Municipal de Saúde e Marjorie Machado, coordenadora dos CRAS- Centro de Referência em Assistência Social, que explicaram sobre os respectivos serviços prestados; de Liliane Ferraz, Rosani Patz e Stéfani Patz, da Igreja Batista Pioneira, que abordaram os serviços oferecidos aos imigrantes; de José Apolinário, do Lions Clube, que também presta assistência aos imigrantes e da professora Bedati Finokiet, da Universidade Federal da Fronteira Sul, que pesquisa e trabalha com grupos minoritários.

Por sua vez, o grupo de haitianos presente revelou que entre as dificuldades enfrentadas destacam-se o desconhecimento do idioma, a dificuldade no momento de locação de imóvel devido à exigência de fiador; a dificuldade para enviar dinheiro aos familiares e sobretudo, a carência financeira que os impede de trazer familiares que ainda estão em seus países de origem, além da falta de trabalho para alguns.

A fim de se poder dialogar com mais fluência, atuaram como tradutores os professores de Francês Jean Louis Makewitz e Gilda Gonçalves Karlinski. Como encaminhamento dessa atividade, o grupo de parceiros e representantes de imigrantes irão reunir-se, ainda neste mês de outubro, a fim de definir atuações mais pontuais junto os imigrantes de Santo Ângelo, entre elas, um encontro mais ampliado com imigrantes.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 16 fevereiro, 2019

    Coordenadora de Educação fala da reestruturação das escolas

    O Governo do Estado vem adotando medidas voltadas a reestruturação das escolas, observando a questão ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 15 fevereiro, 2019

    FASA abre inscrições para 19 cursos de pós-graduação

    A Faculdade Santo Ângelo (FASA) passa a oferecer mais uma opção no Ensino Superior para ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 13 fevereiro, 2019

    Vélez garante que universidades públicas não serão privatizadas

    O ministro da Educação, Ricardo Vélez, garantiu hoje (13), pelo Twitter, que as universidades públicas ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.