Deputado Jerônimo Goergen pede afastamento do diretório estadual do PP

NULL
Lucas de Campos 7 março, 2015 Fonte:

Um dos seis gaúchos com pedido de abertura de inquérito aceito pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) pediu afastamento do diretório estadual do PP. O parlamentar preferiu se licenciar para se defender e prestar os esclarecimentos sobre a suspeita de envolvimento no esquema de desvios da Petrobras.Não estou preocupado com prazos para minha volta ao diretório. Vou me defender das acusações e não quero prejudicar meu partido. Tenho orgulho do partido e dos meus companheiros. Se existe algo que desejo neste momento, é preservar minha honra — disse em entrevista a ZH.Goergen é alvo de inquérito ao lado dos também deputados federais do PP Afonso Hamm, José Otávio Germano, Luis Carlos Heinze e Renato Molling, além do ex-deputado Vilson Covatti. Os seis teriam recebido mesada que variava entre R$ 30 mil e R$ 150 mil, oriundos de contratos da Petrobras, conforme depoimentos do doleiro Alberto Youssef.Na manhã deste sábado, o progressista utilizou sua conta no Twitter para se defender.”Enfrentarei tudo de cabeça erguida e c coragem. Juro só isto quero na vida de agora em diante”, disse.O deputado e os outros cinco colegas investigados darão esclarecimentos para a executiva estadual do PP na próxima segunda-feira. Presidente da sigla, Celso Bernardi convocou reunião extraordinária para tratar do assunto. Ele acredita que o afastamento de Goergen do diretório possa ser repetido pelos outros parlamentares presentes na lista da Operação Lava-Jato.É um bom caminho (os afastamentos). Não podemos condenar ninguém de forma prévia, mas o partido quer ouvir os deputados. A imagem política do PP já está arranhada — diz Bernardi.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.