Defesa de Boldrini entra com liminar para adiar depoimentos de réus do Caso Bernardo

NULL
Lucas de Campos 22 maio, 2015 Fonte:

Com a alegação de que alguns questionamentos não foram respondidos pelo Instituto-Geral de Perícias (IGP) no laudo sobre a suposta assinatura de Leandro Boldrini em uma receita de midazolam, a defesa dele pediu nesta quinta-feira ao Tribunal de Justiça (TJ), em caráter liminar, o adiamento da audiência marcada para a próxima quarta-feira, dia 27, em Três Passos. O médico deve ser ouvido pela primeira vez desde o assassinato do filho, Bernardo Uglione Boldrini, em abril de 2014. O TJ ainda não se manifestou sobre o assunto.O medicamento foi encontrado no corpo do garoto na autópsia e, segundo o inquérito policial, foi usado para dopá-lo antes da morte. Além de Boldrini, também devem deporGraciele Ugulini (madrasta), Edelvânia Wirganovicz e Evandro Wirganovicz. Todos foram denunciados pelo Ministério Público (MP) por homicídio triplamente qualificado. O juiz de Três Passos, Marcos Luís Agostini, indeferiu na última terça-feira o pedido de habeas-corpus dos advogados de Boldrini para o adiamento da audiência final do caso.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.