Defesa da madrasta de Bernardo pede afastamento de juiz

NULL
Lucas de Campos 25 maio, 2015 Fonte:

A defesa da madrasta do menino Bernardo ingressou com uma exceção de suspeição contra o juiz responsável pelo processo criminal que tramita em Três Passos. O advogado de Graciele Ugulini pede a substituição do magistrado, com o argumento de que Marcos Luís Agostini estaria privilegiando a acusação no andamento do processo. O magistrado negou o pedido. Considerou que as alegações apresentadas não estão configuradas para impedimento ou suspeição. \”Parece que a defesa quer alçar a exceção de suspeição a sucedâneo recursal, o que não tem previsão legal. Não obtido êxito em reformar as decisões proferidas pelo juízo, a excipiente lança mão da presente exceção, buscando afastar o magistrado da condução do feito, sem que exista causa legal para isso\”, afirma o juiz. Vanderlei Pompeo de Mattos citou na ação uma decisão do juiz que determinou busca e apreensão do processo no escritório dele, considerando a medida ilegal e arbitrária. O advogado afirma ainda o magistrado contribui para espetacularização do fato na imprensa, ao permitir que as audiências sejam acompanhadas por repórteres. A Exceção de Suspeição será apreciada pelo Tribunal de Justiça. Com a decisão, seguem mantidos os depoimentos dos quatro réus para quarta-feira (27). Sobre o acesso da imprensa na audiência, Marcos Luís Agostini afirma que o processo é público. \”Registro que o comportamento deste magistrado, salvo melhor juízo, tem sido discreto na condução de processo com ampla repercussão, a qual advém do fato em si, o contexto em que teria sido praticado e os próprios acusados. A autorização da presença da imprensa nas audiências ocorre porque não há segredo de justiça decretado no feito e as solenidades são públicas\”, destacou.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.