Corsan mobiliza comunidade de Santo Ângelo na abertura da Semana da Água

Foto: Ascom Corsan
Sepé Tiaraju 1 outubro, 2018 Fonte: Palácio Piratini

Quando o poeta Castro Alves escreveu que “a praça é do povo”, ele não estava se referindo ao Festival Boas Ideias – mas bem que poderia. Isso porque a comunidade de Santo Ângelo compareceu em peso ao evento que ocorreu ao longo de todo o sábado (29), na Praça Pinheiro Machado, com 12 horas de atividades culturais e ambientais. Patrocinado pela Corsan, o festival marcou o início da 25ª Semana Interamericana e 18ª Semana Estadual da Água, que ocorrem a partir de sábado (29 até sexta-feira (5), e têm apoio da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – seção RS (Abes-RS) e da prefeitura de Santo Ângelo.

Foi um dia inteiro dedicado à água, às boas ideias à sustentabilidade. O evento celebrou os 25 anos da Semana da Água, que em 2018 tem como tema principal “Água segura = Vida saudável. Esgoto tratado, água protegida”.

Na abertura das atividades, o diretor administrativo da Corsan, Alberto Paganella, destacou a evolução alcançada desde que a semana começou a ser promovida. “Por meio de uma parceria muito produtiva com a Abes-RS, a Companhia tem se engajado nesta iniciativa e estamos vendo o progresso de todo este trabalho. Muitas crianças que participavam das primeiras edições já são pais e hoje seus filhos se envolvem nessa conscientização. Estamos enfrentando agora o desafio de universalizar o esgotamento sanitário. Para isso é fundamental a conscientização das pessoas, conectando seus imóveis à rede coletora, o que vai contribuir com o compromisso coletivo de legar um futuro melhor para as próximas gerações”.

Na região das Missões, onde se localiza o município de Santo Ângelo, a Corsan desenvolve uma série de ações voltadas ao esgotamento sanitário. Uma das iniciativas é a cobrança pela disponibilidade do serviço de esgoto. Trata-se de um incentivo à ligação, pois cobra-se do cliente não conectado à rede uma taxa maior do que ele pagaria se ligado estivesse.

O prefeito Jacques Barbosa saudou a escolha do município para sediar o evento.  Já a coordenadora da Semana da Água, Maria de Lourdes Wolff, informou que a Semana está mobilizando cerca de 2 milhões de pessoas com aproximadamente 1.500 atividades no estado. “Para proteger a água e estimular a consciência da população, a Semana da Água é uma referência interamericana de mobilização social”.

Programação intensa da manhã à noite

Tendo a Catedral Angelopolitana como cenário de fundo, as atividades transcorreram de forma gratuita e com muita participação popular. Uma aula experimental de ioga abriu o evento. Na sequência, o público assistiu a um seminário com o tema “As águas e a plataforma 2030 da ONU – Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, mediado por Julia Caon Froeder, uma das profissionais responsáveis pela organização do festival. O debate contou com a participação do diretor Alberto Paganella e do secretário municipal de Meio Ambiente, Francisco Medeiros. Ainda pela manhã, o clown Diego Deodato apresentou o espetáculo LaBáskara.

No início da tarde, os ciclistas se reuniram na tenda principal para uma conversa sobre a experiência de incentivo ao uso da bicicleta desenvolvida pela Fundimisa. Depois, saíram para um passeio ciclístico pelas ruas da cidade. Também à tarde, a Cia Burzum apresentou o espetáculo circense “Sorria, a água ainda está aqui”, seguido de outras atrações: a contação de histórias “Será que a menina anda?”, de Jussara Graffunder; o coral Jeguata Pyaú, dos índios da aldeia Tekoá Pyaú Guarani, e uma roda de conversa com o Cacique Anildo, da mesma aldeia; a performance de dança “Marcas Urbanas”; a atividade inclusiva “Libras em Música”, com Carolina Haag; e um espetáculo que mesclou música e exercício de reciclagem para a criação de instrumentos musicais, o “Reciclartes Slides Guitar”, de Rodrigo Santos; 

Encerramento com música gaúcha 

A programação do festival se estendeu até à noite. Apresentaram-se diversos grupos que participam do Enart, que ocorreu no mesmo dia em Santo Ângelo: grupos de danças tradicionais, mirim e juvenil do GTF Aparício Borges; danças tradicionais, invernada mirim, solista vocal e declamação com o CTG 20 de Setembro; um espetáculo solista vocal do GDF Os Farroupilhas; e danças tradicionais, invernada adulta e gaitas do Ctg Tio Bilia, além de uma apresentação de chula do CTG Os Legalistas. O espetáculo principal de encerramento foi da dupla Analise Severo e Jean Kirchoff.

Além dos espetáculos, uma série de iniciativas se instalaram na praça durante o dia inteiro, promovendo diferentes ações. A Escola do Chimarrão, que acompanha festivais e eventos por todo o estado, esteve instalada com toda a sua estrutura. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente instalou a Casa do Meio Ambiente, promovendo ainda uma ação de recolhimento de resíduos eletrônicos e óleo de cozinha. A Corsan também distribuiu água quente e gelada durante o evento, que contou com grande participação de funcionários da Companhia.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 14 fevereiro, 2019

    FENASOJA e ExpoGiruá trocam experiências sobre as feiras

    Na quarta-feira, 13, a Comissão Central da FENASOJA 2020 recebeu no Parque de Exposições de ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 10 fevereiro, 2019

    RGE realiza 126 mil inspeções na rede elétrica em 2018

    As equipes da RGE realizaram, em 2018, 126 mil inspeções nas suas redes de energia ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 9 fevereiro, 2019

    Acidente com funcionário da RGE deixou municípios da região sem luz

    Um acidente com integrante da equipe Toledo, terceirizada da RGE, deixou pelo menos cinco municípios ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.