Corsan mobiliza comunidade de Santo Ângelo na abertura da Semana da Água

Foto: Ascom Corsan
Sepé Tiaraju 1 outubro, 2018 Fonte: Palácio Piratini

Quando o poeta Castro Alves escreveu que “a praça é do povo”, ele não estava se referindo ao Festival Boas Ideias – mas bem que poderia. Isso porque a comunidade de Santo Ângelo compareceu em peso ao evento que ocorreu ao longo de todo o sábado (29), na Praça Pinheiro Machado, com 12 horas de atividades culturais e ambientais. Patrocinado pela Corsan, o festival marcou o início da 25ª Semana Interamericana e 18ª Semana Estadual da Água, que ocorrem a partir de sábado (29 até sexta-feira (5), e têm apoio da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – seção RS (Abes-RS) e da prefeitura de Santo Ângelo.

Foi um dia inteiro dedicado à água, às boas ideias à sustentabilidade. O evento celebrou os 25 anos da Semana da Água, que em 2018 tem como tema principal “Água segura = Vida saudável. Esgoto tratado, água protegida”.

Na abertura das atividades, o diretor administrativo da Corsan, Alberto Paganella, destacou a evolução alcançada desde que a semana começou a ser promovida. “Por meio de uma parceria muito produtiva com a Abes-RS, a Companhia tem se engajado nesta iniciativa e estamos vendo o progresso de todo este trabalho. Muitas crianças que participavam das primeiras edições já são pais e hoje seus filhos se envolvem nessa conscientização. Estamos enfrentando agora o desafio de universalizar o esgotamento sanitário. Para isso é fundamental a conscientização das pessoas, conectando seus imóveis à rede coletora, o que vai contribuir com o compromisso coletivo de legar um futuro melhor para as próximas gerações”.

Na região das Missões, onde se localiza o município de Santo Ângelo, a Corsan desenvolve uma série de ações voltadas ao esgotamento sanitário. Uma das iniciativas é a cobrança pela disponibilidade do serviço de esgoto. Trata-se de um incentivo à ligação, pois cobra-se do cliente não conectado à rede uma taxa maior do que ele pagaria se ligado estivesse.

O prefeito Jacques Barbosa saudou a escolha do município para sediar o evento.  Já a coordenadora da Semana da Água, Maria de Lourdes Wolff, informou que a Semana está mobilizando cerca de 2 milhões de pessoas com aproximadamente 1.500 atividades no estado. “Para proteger a água e estimular a consciência da população, a Semana da Água é uma referência interamericana de mobilização social”.

Programação intensa da manhã à noite

Tendo a Catedral Angelopolitana como cenário de fundo, as atividades transcorreram de forma gratuita e com muita participação popular. Uma aula experimental de ioga abriu o evento. Na sequência, o público assistiu a um seminário com o tema “As águas e a plataforma 2030 da ONU – Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, mediado por Julia Caon Froeder, uma das profissionais responsáveis pela organização do festival. O debate contou com a participação do diretor Alberto Paganella e do secretário municipal de Meio Ambiente, Francisco Medeiros. Ainda pela manhã, o clown Diego Deodato apresentou o espetáculo LaBáskara.

No início da tarde, os ciclistas se reuniram na tenda principal para uma conversa sobre a experiência de incentivo ao uso da bicicleta desenvolvida pela Fundimisa. Depois, saíram para um passeio ciclístico pelas ruas da cidade. Também à tarde, a Cia Burzum apresentou o espetáculo circense “Sorria, a água ainda está aqui”, seguido de outras atrações: a contação de histórias “Será que a menina anda?”, de Jussara Graffunder; o coral Jeguata Pyaú, dos índios da aldeia Tekoá Pyaú Guarani, e uma roda de conversa com o Cacique Anildo, da mesma aldeia; a performance de dança “Marcas Urbanas”; a atividade inclusiva “Libras em Música”, com Carolina Haag; e um espetáculo que mesclou música e exercício de reciclagem para a criação de instrumentos musicais, o “Reciclartes Slides Guitar”, de Rodrigo Santos; 

Encerramento com música gaúcha 

A programação do festival se estendeu até à noite. Apresentaram-se diversos grupos que participam do Enart, que ocorreu no mesmo dia em Santo Ângelo: grupos de danças tradicionais, mirim e juvenil do GTF Aparício Borges; danças tradicionais, invernada mirim, solista vocal e declamação com o CTG 20 de Setembro; um espetáculo solista vocal do GDF Os Farroupilhas; e danças tradicionais, invernada adulta e gaitas do Ctg Tio Bilia, além de uma apresentação de chula do CTG Os Legalistas. O espetáculo principal de encerramento foi da dupla Analise Severo e Jean Kirchoff.

Além dos espetáculos, uma série de iniciativas se instalaram na praça durante o dia inteiro, promovendo diferentes ações. A Escola do Chimarrão, que acompanha festivais e eventos por todo o estado, esteve instalada com toda a sua estrutura. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente instalou a Casa do Meio Ambiente, promovendo ainda uma ação de recolhimento de resíduos eletrônicos e óleo de cozinha. A Corsan também distribuiu água quente e gelada durante o evento, que contou com grande participação de funcionários da Companhia.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 11 dezembro, 2018

    Suspeitos de feminicídios são encontrados mortos em duas cidades do RS

    O Rio Grande do Sul registrou dois casos de feminicídio na noite de segunda-feira (11). ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 10 dezembro, 2018

    Veículo é consumido pelo fogo em Cerro Largo

    Nesta segunda-feira, 10, por volta das 5h45min, um veículo VW Polo pegou fogo na rua ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 10 dezembro, 2018

    Pagamento do IPVA com desconto começa nesta terça-feira

    A partir desta terça-feira (11) já será possível efetuar o pagamento do IPVA 2019 (Imposto ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.