COMBATE AO AEDES AEGYPTI LEVA CAIROLI E GABBARDO A IJUÍ

Governador Cairioli e Secretário Gabbardo em Ijuí
Lucas de Campos 27 janeiro, 2016 Fonte:

O combate ao mosquito Aedes aegypti levou o governador em exercício José Paulo Cairoli à Ijuí na terça-feira. Acompanhado do secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, e do chefe da Casa Militar, tenente coronel Everton Oltramari, ele reuniu prefeitos e secretários municipais de saúde da Região Noroeste, no Salão de Atos da Unijuí, para tratar de estratégias de monitoramento, prevenção e combate ao Aedes, responsável pela transmissão da dengue, da zika e da chikungunya.

Antes do encontro, Cairoli concedeu entrevista à imprensa local e anunciou que o dia 13 de fevereiro será o dia "D" contra o Aedes no Brasil. "Por determinação da presidente Dilma, 220 mil homens do Exército estão em todo o país para conscientizar as pessoas e vistoriar casas. Destes 220 mil, 20 mil estarão percorrendo o Rio Grande do Sul. Porém, por determinação governamental, o estado terá mais 20 mil agentes da área da saúde e outros 20 mil técnicos de secretarias estaduais e municipais”, antecipou. Ao todo, serão 60 mil agentes, orientando a população a identificar criadouros e a multiplicar ações preventivas.

Gabardo alertou que o número de notificações de dengue nas primeiras semanas de 2016 triplicou em comparação com o mesmo período de 2015.

"Hoje o nosso objetivo é combater o mosquito. Para daqui a 30 dias, não termos hospitais lotados com casos de dengue e nem a circulação do zika virus”, alertou. O secretário disse ainda que o Ministério da Saúde estima que em 2016, o Brasil terá 100 mil casos de microcefalia.

Nas primeiras três semanas de 2016, foram notificados 265 casos de dengue. Destes, 15 foram confirmados (todos contraídos fora do Estado). Em comparação ao mesmo período do ano passado, foram 81 casos notificados e um confirmado, também importado. 

"Consideramos muito preocupante o crescimento dos casos entre um ano e outro, pois isso significa que também aumentou a circulação do mosquito, bem como o número de municípios infestados", avaliou o secretário.

Quanto à chikungunya, foram registrados 16 casos suspeitos, sem confirmação até agora. Também foram registrados 40 casos de contaminação por zika vírus, entre 2015 e as três primeiras semanas deste ano, sem nenhuma confirmação.

"Quando nós temos dengue significa que nós temos o mosquito, e se temos o Aedes aegypti poderemos ter a transmissão do zika. Acabar com o mosquito é a única maneira de parar a transmissão das doenças", explicou o secretário Gabbardo.

Na Região Noroeste, 18 municipios estão com indíces de infestação do mosquito considerados críticos. São elas: Salto do Jacuí, Ibirubá, Tupaciretã, Butiá, Eugênio de Castro, Santo Ângelo, Santa Rosa, Cândido Godói, Boa Vista do Buricá, Chapada, Sarandi, Palmeira das Missões, Panambi, Campo Novo, Chiapeta, Frederico Westphalen, Erval Seco e Três Passos.

Foi assinada uma resolução que cria o plano de ação para os agentes comunitários de saúde no trabalho de combate ao mosquito. Agora, as equipes de Saúde da Família realizarão ações de combate aos criadouros do inseto e de orientação sobre as doenças transmitidas pelo vetor, durante as visitas domiciliares.

Com isso, os três mil agentes de endemias terão o apoio de mais de 10 mil profissionais, entre agentes comunitários e do PIM. Com essa atribuição, o plano prevê que todas as residências no raio de ação das equipes sejam visitadas a cada 30 dias.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.