Colheita de soja atinge 20% da área plantada no Rio Grande do Sul.

Agricultores aproveitam tempo bom para acelerar a colheita de soja. Foto: João Bernardi
bernardi 29 março, 2018 Fonte: Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar

A colheita da soja se processou de forma bastante intensa nesta última semana, tendo aumentado 11 pontos percentuais, chegando a 20% do total semeado. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (29/03), as primeiras áreas colhidas vêm apresentando rendimentos dentro das expectativas e variando a cada região analisada.
Nas localidades afetadas por falta de chuvas mais abundantes neste final de ciclo, os rendimentos variam entre 35 e 40 sacas/ha (2,1 a 2,4 mil kg/ha). Entretanto, em municípios onde as precipitações não comprometeram o desenvolvimento da cultura, os rendimentos têm ficado em torno de 60 sacas/ha (3,6 mil kg/ha). A média geral para o Estado segue ao redor dos 3 mil kg/ha.
Neste final de ciclo, há lavouras que apresentam ataque de lagartas. Assim, alguns produtores são forçados a entrar mais uma vez na lavoura para controlar os focos. Naquelas em estádios mais avançados, as lagartas estão atacando as folhas que restam, não conseguindo danificar vagens, o que pelo menos estanca por ora maiores prejuízos. Outro distúrbio verificado nas áreas mais tardias é a presença da ferrugem asiática, o que força os produtores a realizarem mais aplicações de fungicidas do que o esperado.
No milho, a colheita prossegue e alcança 78% da área. Este aumento poderia ser maior não fosse o interesse dos produtores em retirar a soja com mais rapidez, em detrimento da colheita do milho. Mesmo assim o atual índice coloca esta safra bem à frente da média em termos de colheita. As produtividades obtidas até aqui têm surpreendido em alguns casos, pois não são raros os que conseguiram produtividades acima dos 10 mil kg/ha, fato que contrabalança com os eventuais casos de lavouras prejudicadas pelo clima, fazendo com que a média estadual se situe, até aqui, ao redor dos 6 mil kg/ha.
O clima tem favorecido a colheita do arroz em todas as regiões produtoras do Estado, apesar da ocorrência de algumas chuvas durante parte da semana. Na média estadual, o percentual atinge 30% da área cultivada, tendo ainda cerca de 40% da área já pronta para ser colhida, uma vez que as lavouras já completaram sua maturação. As produtividades obtidas até aqui variam entre 7,2 mil kg/ha e 8 mil kg/ha, com alguns casos que ultrapassam o limite superior. A qualidade dos grãos também é considerada boa pelos produtores, que não encontram dificuldades ao comercializá-lo.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 18 novembro, 2018

    Produtores reclamam das condições precárias das estradas no interior

    A precariedade e o abandono das estradas do interior está preocupando muitos produtores de diferentes ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 18 novembro, 2018

    Brasil apresenta grande índice de desperício de alimentos

    A produção e o consumo sustentáveis de alimento não são apenas uma moda passageira, mas ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 18 novembro, 2018

    Déficit de lenha na região do Alto Uruguai leva empresa a lançar programa de incentivo florestal

    O receio de que dentro de poucos anos falte lenha na região do Alto Uruguai, ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.