Clima e novas tecnologias garantem boa safra de milho

Sepé Tiaraju 23 fevereiro, 2019 Fonte: A Tribuna

O clima favorável e as novas tecnologias no campo estão garantindo uma boa safra do milho. Essa é a opinião do chefe do Escritório da Emater, Àlvaro Uggeri Rodrigues. Segundo ele, os produtores além da utilização de sementes com genética avançada, vem evoluindo na utilização de insumos e na assessoria técnica, sem contar a facilidade ao acesso de informações com a internet.

De acordo com Álvaro, em Santo Ângelo são 4.300 hectares de milho. Deste total 85% refere-se ao plantio feito no mês de agosto, cuja safra já foi colhida. Os outros 15% são sementes plantadas em janeiro, que se encontra na fase de crescimento vegetativo. Apesar de não haver dado oficial da Consea (Comissão Municipal de Estatística Agropecuária) o agrônomo acredita que pelos números obtidos em propriedades do município que registraram colheita de 130 a 150 sacas por hectare, a média tranquilamente vai superar as 100 sacas por hectares, estimativa de colheita para Santo Ângelo. Hoje, o preço da saca do milho é de R$ 30

“Podemos afirmar que teremos uma cultura promissora do milho em Santo Ângelo devido às condições climáticas favoráveis e pelo uso de novas tecnologias no meio rural. Isso vai refletir positivamente na economia”, diz Álvaro.

SOJA

O momento da cultura da soja também e positivo devido a questão climática. Em Santo Ângelo foram plantadas 35 mil hectares de soja, enquanto no Estado quase 6 milhões de hectares. A expectativa é que seja colhida uma média de 60 sacas por hectares. O preço médio da saca da soja no mercado é de R$ 65.

TRIGO

Os agricultores também estão se preparando para as culturas de inverno como o trigo. Álvaro explica que existe uma expectativa de aumento no plantio em torno de 10 a 15%. Em 2018 foram cultivadas 7.200 hectares da cultura. O preço da saca do trigo é de R$ 41.

OUTRAS CULTURAS

A Emater também registrou o cultivo de outras culturas no meio rural como o feijão em áreas reduzidas. No caso do feijão é praticamente para a subsistência da família na propriedade. O plantio do amendoim também é feito nesta mesma situação.

PRODUÇÃO LEITEIRA

A produção leiteira é outra alternativa de renda importante no campo, embora haja o aumento da produção pela qualidade genética e as novas tecnologias, o número de família atuando no setor vem reduzindo ano a ano. Álvaro conta que a crise no setor leiteiro tem contribuindo para essa diminuição das famílias no meio rural. “Entre 2005 e 2006 havia 550 famílias no setor leiteiro. Os últimos dados, porém, apontam que hoje são apenas entre 200 a 250 famílias, ou seja, uma redução de 50%.”

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 23 maio, 2019

    Dia do Campo Limpo será realizado de 27 a 31 de maio no interior

    A empresa Jerivá Embalagens com o apoio do Governo Municipal por meio das secretarias de ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 21 maio, 2019

    Deputado pede inclusão de agricultores em proposta de renegociação de dívidas da CEF

    A Caixa Econômica Federal deve lançar um programa de renegociação que vão oferecer descontos de ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 15 maio, 2019

    Escolas de Santo Ângelo paralisaram em defesa da educação

    Escolas de Santo Ângelo paralisaram as aulas nesta quarta-feira, 15, pela contingência de gastos anunciadas ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.