Chefe da vigilância Estadual diz que falar em epidemia é criar pânico na população

NULL
Lucas de Campos 16 abril, 2015 Fonte:

O Comitê de Enfrentamento à Dengue de Santo Ângelo esteve reunido ontem, para avaliar a situação de alerta na cidade.

O encontro teve a participação da chefe da Divisão de Vigilância Ambiental em Saúde do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), Rosane Prato, da enfermeira da Divisão da Vigilância Epidemiológica da CEVS, Kátia Vettorello e da sanitarista do Departamento de Ações em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Carol Cardoso Rodrigues.

De acordo com Rosane Prato foram confirmados sete casos de dengue em Santo Ângelo – três autóctones e quatro importados.

“Entre os municípios da 12ª Coordenadoria Regional de Saúde são 96 casos autóctones da doença e quatro importados”, afirmou.

Caibaté é o município da região com o maior número de casos confirmados: são 84 casos autóctones.

Em todo o Rio Grande do Sul foram confirmados 237 casos da doença – 171 autóctones e 66 importados.

Rosane Prato ressaltou que Santo Ângelo não tem uma epidemia de dengue, o que existe no município é um surto da doença.

“Criar uma situação de pânico para a população é destruir um trabalho de Vigilância em Saúde”, afirmou.

Ainda segundo ela em Santo Ângelo está sendo realizada uma força-tarefa com a participação da SES, 12ª CRS e município com o objetivo de construir uma efetiva rede de assistência para o controle e redução da infestação do mosquito Aedes Aegypti – transmissor da dengue.

Uma nota técnica foi repassada para as escolas publicas repassando orientações sobre como evitar o aumento de casos e ações de redução do índice de infestação pelo mosquito transmissor.

A sugestão, segundo Nara Damião, presidente do comitê, a ideia é que as escolas envolvam seus alunos e a própria comunidade em ações de orientação e prevenção à dengue.

“Queremos que cada aluno e seu familiar se transformem num agente de combate a futuros criadouros do mosquito que transmite a doença”, afirmou.

         Hoje pela manhã o prefeito de Caibaté, Sérgio Birck garantiu durante entrevista a rádio Sepé, que deste o começo de abril a cidade não registra mais nenhuma notificação e internação hospitalar devido ao surto da doença.

 

 

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.