Casos de toxoplasmose em Santa Maria deixa em alerta Ministério da Saúde

Transmitida pelas fezes contaminadas do gato, na maioria das vezes, a toxoplasmose não provoca sintomas - Foto: Agência Brasil
Sepé Tiaraju 29 abril, 2018 Fonte: Agência Brasil

Praticamente dobrou o número de casos de toxoplasmose em Santa Maria de 51 a 105. Também há o registro de duas mortes fetais em gestantes com diagnóstico de toxoplasmose aguda.
O prefeito Jorge Pozzobom confirmou que o Ministério da Saúde enviou uma equipe de profissionais à Santa Maria para ajudar na investigação da origem do surto de toxoplasmose. A diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Marilina Bercini, afirmou que chega a 262 o total de casos suspeitos da doença.

TOXOPLASMOSE
Transmitida pelas fezes contaminadas do gato, na maioria das vezes, a toxoplasmose não provoca sintomas. Tanto que, em 80% a 90% dos casos, os infectados nem sabem que têm ou tiveram a doença. Porém, em alguns momentos, a doença pode representar grande risco como no caso da infecção de mãe para feto.

“Se a grávida pegar a toxiplasmose pouco antes de engravidar, ou durante a gravidez, ela pode passar a doença para o bebê. No primeiro trimestre da gravidez, o bebê é muito bem protegido, então a chance de pegar é pequena, cerca de 10%. Mas, se pegar, a chance de aborto é muito grande. No segundo trimestre, a chance de passar para o bebê já é 30%, mas a chance de lesão grave é menor, chega a 2%. No terceiro trimestre, as chances de passar para o bebê são de 60%, mas as lesões são muito menos importantes”, explica a infectologista do Departamento de Pesquisa do Hospital Federal dos Servidores do Estado, Jacqueline Menezes.

Ainda de acordo com a especialista, as três formas de contágio da toxoplasmose são: contato direto com as fezes de gatos, ingestão de hortaliças ou carnes mal passadas contaminadas e ingestão de água contaminada. Os sintomas da doença são parecidos com os da dengue: febre, mal estar, dor no corpo, dore de cabeça e ínguas no pescoço.

Para quem tem gato em casa, principalmente gestantes, o infectologista Rodrigo Caldas Menezes sugere os seguinte cuidados:

– oferecer ração e água filtrada (ou fervida) para os bichinhos. Caso queira oferecer carne, certifique-se de que ela está bem cozida;

– sempre usar a caixa de areia e limpá-la diariamente. Grávidas e pessoas com problemas de baixa imunidade não devem fazer esta limpeza. Em caso de necessidade absoluta, devem usar luvas;

– evitar que o gato saia do domicílio para caçar;

– realizar a castração do animal, o que causa um efeito comportamental, diminuindo a saída deles à rua.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 24 março, 2019

    Barragem da Vale em Barão de Cocais entra em alerta máximo

    Uma barragem da mineradora Vale em Barão de Cocais, na região central de Minas Gerais, ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 24 março, 2019

    Ciclone Idai em Moçambique atinge 1 milhão de crianças, diz Unicef

    O ciclone Idai provocou 732 mortes em Moçambique, Zimbabué e Malawi. O furacão atingiu o sudeste da ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 24 março, 2019

    Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 6 milhões

    Nenhum apostador acertou as seis dezenas da Mega-Sena - concurso 2136 - sorteadas, ontem, na ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.