Carro fúnebre que transportava corpos de praticantes de rapel colide em vaca

NULL
Lucas de Campos 28 janeiro, 2015 Fonte:

Depois de quase 10 horas de operação para resgatar os corpos dos praticantes de rapel Ronei Marcelino Pinto, de 47 anos, e Jean Carlos Machado Lopes, de 40, na última segunda-feira, 26 de janeiro, amigos e familiares das vitimas que aguardavam no Instituto Médico Legal, em Osório, tiveram a espera prorrogada por um fato inusitado.

No trajeto até Osório, o carro da funerária que transportava os dois corpos colidiu com uma vaca na estrada. O acidente ocorreu perto da entrada da Linha Fagundes, ainda próximo a Barra do Ouro.

Segundo relatos, o choque teria deixado o animal com as patas quebradas e danificado a frente do furgão, impedindo o motorista de prosseguir o percurso. Foi necessário o envio de um novo veículo para fazer o transporte dos corpos.

Segundo Zero Hora, a informação foi repassada pelo delegado do caso, Heraldo Guerreiro. Funcionários da funerária e amigos de uma das vítimas que aguardavam no local confirmam o fato.

“Estava demorando muito para eles chegarem. A funcionária que ia fazer a perícia tinha pressa para ir embora ao final do expediente, então telefonou e foi informada de que o carro precisaria de um guincho. O motivo é que tinham atropelado uma vaca no caminho”, conta Bruna Giovana da Silva Carocia.

Contatado por Zero Hora, o suposto motorista não confirma o fato. “Não estou sabendo de nada disso, não aconteceu nenhum acidente”, disse ele por telefone à reportagem.

Entenda

Pendurados em cabos de rapel, sete aventureiros desciam uma cascata de cerca de 130 metros na tarde de sábado, dia 24, quando foram surpreendidos por um enxame de abelhas. O ataque matou duas pessoas — uma teria cortado a corda, outra teria feito uma descida brusca e não acionou os freios — e deixou mais cinco feridas na localidade de Barra do Ouro, em Maquiné, no Litoral Norte.

Fonte: ZH

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.