Canudos plástico saem de cena

A picture taken on May 24, 2018 in Sieversdorf, eastern Germany shows plastic straws. - The EU Commission is to present a plan to ban the single-use products in the fight against plastic waste. (Photo by Patrick Pleul / dpa / AFP) / Germany OUT (Photo credit should read PATRICK PLEUL/AFP/Getty Images)
Sepé Tiaraju 5 janeiro, 2019 Fonte:

Nunca se leu tanto sobre o perigo do canudinho plástico descartado na natureza quanto nos últimos anos. A imprensa nacional e internacional vem abordando seguidamente o tema, já que a situação se agrava todos os dias com o lixo que se acumula em águas doces e mares, prejudicando a saúde do homem e dos animais. Cidades brasileiras e inclusive gaúchas já aprovam leis proibindo o canudinho plástico em bares e restaurantes.

Em Porto Alegre também foi aprovado projeto de autoria do vereador Marcelo Sgarbossa (PT), no último dia 20 de dezembro. Os comerciantes terão um ano para se adaptar, conforme emenda à proposta apresentada pelos vereadores Professor Wambert (Pros) e Mônica Leal (PP). No Rio Grande do Norte, a legislação é estadual. Está sancionada desde outubro e deverá vigorar a partir de abril.

A preocupação com a poluição causada pelos canudos é visível no mundo inteiro, tanto que o Parlamento Europeu já aprovou proposta para banir do comércio peças plásticas pequenas, leves e de uso único, como é o caso do próprio canudo e de pratos, copos e sacolinhas descartáveis.

Pequeno e pouco percebido em um primeiro momento, o canudinho descartável é um grande vilão em meio a todo o lixo que desemboca nos mares. Sua reciclagem nem sempre é lembrada como fundamental para a preservação do planeta justamente por causa do tamanho mínimo e pela falsa ideia de que um item tão “mini” não faria diferença em meio a tantos objetos descartados. A organização internacional Ocean Conservancy de defesa ambiental desmente isso.

No site Ocean Conservancy, a entidade com sede em Washington, nos Estados Unidos, mostra que o canudo foi o sétimo item mais coletado diariamente nas limpezas das praias pelo mundo em 2017. Ao longo dos últimos 30 anos, mais de 9 milhões de canudinhos foram recolhidos por voluntários. A Ocean Conservancy ainda revela que cada norte-americano usa 1,6 canudo por dia em média, costume que se popularizou com as redes de fast food que o país “exporta” para todos os continentes. A entidade também reforça que no mar os canudos representam enorme perigo para tartarugas, albatrozes e peixes.

Entre os lixos mais recolhidos nos oceanos, à frente do canudo, estão plásticos como sacolas, pratos, copos, garrafas, tampas e talheres. Entretanto, enquanto em uma rede de lanches rápidos um único copo, prato ou garrafa é entregue pelo atendente ao consumidor, o canudo fica muitas vezes disponível em caixas sobre os balcões e o cliente não se contenta em pegar só um para colocar em sua bebida. Acaba usando logo dois, três, sem contar quando leva alguns para casa e distribui para as crianças. Situação semelhante se repete em bares noturnos que criam drinks sofisticados e coloridos.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 15 junho, 2019

    Sorteio da Mega-Sena paga R$ 115 milhões

    A Caixa Econômica Federal (CEF) realiza hoje (15), às 20 horas, o sorteio do concurso ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 13 junho, 2019

    Mega-Sena: ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 115 milhões

    Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.159 da Mega-Sena realizado nesta quarta (12) em ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 12 junho, 2019

    Presidente da Rede de Farmácias São João é condecorado com o mérito Leadership Award da Dale Carnegie

    O presidente da Rede de Farmácias São João, Pedro Henrique Brair, foi condecorado com o ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.