Aumento da produtividade garante segunda maior safra de verão do RS

O presidente da Emater/RS, Clair Kuhn apresentou levantamento sobre safra de verão. Foto:Emater
bernardi 7 março, 2018 Fonte: Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar

Como tradição durante a Expodireto Cotrijal, a Emater/RS-Ascar anunciou na manhã desta terça-feira (06/03) o levantamento sobre as condições das lavouras da safra de verão 2017/2018, no Café com Leite para a Imprensa, organizado na Casa da Família Rural. O presidente da Emater/RS, Clair Kuhn, apresentou os dados coletados em todo o Estado, considerando a situação das lavouras até a primeira quinzena de fevereiro/2017. Segundo os números preliminares, houve redução no total da área cultivada no Estado e na produção referente a algumas culturas, entretanto, a produtividade manteve-se elevada. A safra de verão 2017/2018 deverá alcançar uma produção de 30,2 milhões de toneladas, o que causará um impacto econômico no valor bruto superior a R$ 27 bilhões. Com a confirmação desses números, esta será a segunda maior safra de verão no Estado do RS.
Passando para a análise individual de cada cultura, o cultivo do arroz sofreu uma pequena redução na expectativa da área total e da produção no Estado, em torno de 0,8%, que se refere a uma área de 1,09 milhões de hectares e uma produção de 8,4 milhões de toneladas. “Os números analisados referem-se às estimativas da intenção de plantio e a intenção de colheita. Na cultura do arroz, houve uma redução na área plantada e na estimativa de produção, porém, a produtividade se manteve a mesma (7,7 mil kg/ha)”, argumentou o presidente da Emater/RS, Clair Kuhn.
O cenário para o feijão 1ª safra apontou algumas diferenças. Mesmo com uma redução de 3,2% na área total (área atual de 42,3 mil hectares), a expectativa de produção e da produtividade aumentou significativamente, fechando a safra com uma estimativa de acréscimo de 16,3% na produção (expectativa atual 68,3 mil toneladas) e superior a 20% na produtividade (1,6 mil kg/ha).
O milho grão apresentou uma variação similar, mas em menor proporção. Independente dos números apontarem uma redução de 3% para a área total plantada no Estado (721,6 mil hectares área atual), a expectativa de produção e a produtividade mantém-se com saldo positivo. A produção de milho grão subiu 0,11% (expectativa atual de 4,6 milhões de toneladas) e a produtividade está mais elevada em 1,45% (6,3 mil kg/ha).
Para o milho silagem, os números apontam uma redução no total da área cultivada e na expectativa de produção. Essa cultura reduziu para 378,7 mil hectares de área total, um percentual de 2,57% comparando com a estimativa inicial. A produção também sofreu uma redução de 2,16%, diminuindo expectativa para 14,2 milhões de toneladas. Entretanto, mesmo com a redução nos dois aspectos da cultura, área e produção, a expectativa da produtividade é positiva, com aumento de 0,43% referente à estimativa inicial (expectativa atual 37,6 mil kg/ha). “Além do milho grão, é importante observarmos o desenvolvimento dessa cultura, que está relacionada com outras atividades do setor agropecuário, como a bovinocultura de leite, e que é tão significativa para o nosso Estado e para o desenvolvimento das famílias do campo”, acrescentou Kuhn.
A cultura da soja, como era esperada, apresentou um saldo positivo em todos os aspectos, aumento da área cultivada, expectativa de produção e produtividade. A área total plantada no Estado subiu 0,13%, registrando uma área atual de 5,7 milhões de hectares. A produção aumentou em 2,19%, gerando uma expectativa atual de 17,1 milhões de toneladas. A produtividade também teve um crescimento em comparação à estimativa inicial. Com 2,04% de aumento, a expectativa de produtividade média no Estado na soja é de 2,9 mil kg/ha.
Ao realizar um comparativo com a safra anterior (2016/2017), analisando área, rendimento e produção por região, as quatro principais culturas de grãos apresentaram redução. No entanto, os valores finais foram significativos. Para esta safra de verão 2017/2018 a produção deverá ser de 30,2 milhões de toneladas. “Com esse resultado, mesmo diminuindo três milhões de toneladas em comparativo à super safra do ano passado, alcançamos o segundo lugar no ranking das dez maiores produções de grãos de verão no Estado do RS. Precisamos celebrar, comemorar o nosso agricultor, a nossa Emater, porque a locomotiva da agricultura continua crescendo”, anunciou o presidente da Emater/RS.

Notícias Relacionadas

  • Sepé Tiaraju 26 maio, 2019

    Abelhas nativas em extinção são criadas na cidade

    As abelhas nativas sem ferrão conhecida como meliponas são as espécies mais ameaçadas de extinção. ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 25 maio, 2019

    Produção de mel sofre queda no Rio Grande do Sul

    Com a colheita do mel da florada de outono praticamente concluída no Estado, a Federação ...

    Leia mais >
  • Sepé Tiaraju 25 maio, 2019

    Especialista alerta que mortandade das abelhas poderá afetar a cadeia produtiva de alimentos

    A mortandade de abelhas é um fenômeno mundial. No Brasil a situação não é diferente. ...

    Leia mais >
© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.