ARGENTINOS SÃO IMPRUDENTES NO TRÂNSITO DIZ POLÍCIAL RODOVIÁRIO FEDERAL

Movimento intenso de argentinos nas rodovias gaúchas
Lucas de Campos 5 janeiro, 2016 Fonte:

Já passarram pela ponte da Integração, em São Borja, 30 mil turistas argentinos, desde a última sexta-feira, segundo Alcir Jordani, gerente comercial da Mercovia, concessionária da travessia.

            Até o domingo, foram 5.500 automóveis de veranistas e outros 500 ontem, além de 12 ônibus, principalmente rumo às praias.

            A empresa previa incremento de 30% no fluxo de visitantes do país vizinho pela ligação nessa temporada. A tendência, porém, é de que o aumento seja maior, em função do movimento a partir deste inicio do ano.

            O fluxo de hermanos circulando pelas rodovias da região das missões é bem visível, especialmente na BR-285 e também na BR-392, assim como também pela ERS-344.

            Com o aumento no fluxo de automóveis nas rodovias, nenhum motorista está livre de acidentes. Inclusive durante o feriadão de final de ano até o dia de ontem, a Policia Rodoviária Federal registrou quatro acidentes envolvendo veículos argentinos.

            No domingo, uma mulher apresentou um mal súbito e veio a óbito nas proximidades do município de Dr. Bozano. Ontem pela manhã aconteceu grave acidente logo após a Esquina Gaúcha/Entre-Ijuís com um veículo argentino que deixou cinco pessoas feridas.

            Hoje pela manhã no programa Aldeia Global, o inspetor chefe da delegacia da Polícia Rodoviária Federal de Ijuí, Vilmar Keski, comentou o assunto, dizendo que está ocorrendo um aumento na circulação de veículos estrangeiros de até 40% em comparação com o ano passado.

            O agente rodoviário, igualmente foi coerente e afirmativo ao dizer que os acidentes de trânsito aconteceu em sua totalidade pela completa imprudência dos condutores argentinos.

            Relata Vilmar Keski, que os hermanos são impacientes e cometem infrações clássicas como ultrapassagens indevidas, além do excesso de velocidade. A Polícia Rodoviária Federal já flagrou argentinos andando a 160 e até 165 quilômetros por hora.

            Ao serem abordados, os visitantes argumentam ao policial que em seu país é permitido andar com essa velocidade excessiva. “Tudo não passa de uma tentativa de tentar aliviar a notificação”, disse o inspetor Vilmar Keski.

            O procedimento adotado pela polícia Rodoviária Federal quando flagra algum veiculo estrangeiro ingressando no país e com excesso de velocidade, é primeiro fazer a abordagem com a devida notificação do condutor.

Na seqüência é emitida uma guia de notificação com infração gravíssima, devendo a mesma ser paga até a saída do país, cujo valor é de 574 reais e 62 centavos.

No caso do argentino estar deixando o país e for autuado, o procedimento é outro. O veiculo é retido, devendo o condutor efetuar o pagamento da infração em uma instituição bancária. Somente a partir do pagamento é que o automóvel é liberado para seguir viagem.

Segundo Vilmar Keski, as duas rodovias BRs 285 e 392, possuem sinalização indicando que o limite de velocidade é 80Km/h. Diz o policial que aonde não existe placa indicativa, é aplicado o art.161 do código de trânsito que prevê o limite máximo de 110km/h para carros de passeio.

A polícia rodoviária federal está aguardando através do DNIT,a  execução agora em 2016 do projeto que prevê a alteração no limite de velocidade nas duas rodovias. Tudo depende do orçamento do órgão federal, para que então o limite de velocidade passe dos atuais 80 para 110 quilômetros por hora.

© Copyright 2017, Todos os direitos reservados.