JORNAL TRIBUNA

Ex-marido é indiciado por assassinato de contadora



Ex-marido é indiciado por assassinato de contadora
Delegado da Polícia Civil de Cerro Largo, Marcus Vinícius Viafore - Foto: Divulgação

A Polícia Civil de Cerro Largo concluiu na quarta-feira, 7, o inquérito que investiga o assassinato da contadora Roseli Maria Leichtweis, 32 anos. O crime ocorreu em 29 de janeiro em Salvador das Missões e o suspeito do femincídio é o ex-marido da vítima, que está preso desde 30 de janeiro.

Nesta quinta-feira, 8, o delegado da Polícia Civil de Cerro Largo, Marcus Vinícius Viafore, que investigou o caso, concedeu entrevista ao comunicador Paulo Renato Ziembowicz e ao repórter Luís Cabreira da Rádio Sepé Tiaraju – AM 540.

Viafore informou que o suspeito do assassinato, o ex-marido da vítima, foi indiciado por feminicídio e dentro de cinco dias o Poder Judiciário deve se pronunciar sobre o caso para que inicie o processo penal. “Todos os elementos de prova, inclusive a confissão, apontam para que o suspeito tenha cometido o delito com certo grau de premeditação”, disse.

Ainda de acordo com o delegado, em depoimento, o suspeito citou que matou a ex-mulher por que a vítima estaria tendo um relacionamento com outra pessoa. No entanto, o homem apontado como namorado da vítima negou que estava tendo um relacionamento amoroso com Roseli e afirmou que os dois teriam ficado juntos apenas um dia antes do crime.

Viafore explicou que Roseli havia saído de casa e o suspeito não aceitava o fim do relacionamento. O delegado explicou ainda que a situação da vítima era complicada, já que a contadora estava sendo ameaçada e tentava sair de casa há cerca de seis meses.

Além disso, Viafore ressaltou que existia um grau de possesividade do suspeito sobre a vítima, o que também teria motivado o crime.

A guarda do filho do casal está com uma das tias, irmã de Roseli.

O crime de feminicídio, considerado qualificado e hediondo por ser cometido contra mulher em razão da condição de mulher, tem uma pena que varia entre 12 anos e 30 anos de prisão.

 

O CASO

A contadora Roseli Maria Leichtweis, 32 anos, foi morta a tiros por volta das 16h30 de 29 de janeiro, no interior de Salvador das Missões.

A vítima teria ido até o local onde ocorreu o crime, a pedido do ex-marido e, em determinado, momento saiu do imóvel correndo e gritando.

A contadora teria tentado se proteger atrás de uma das testemunhas, mas ao tentar fugir novamente por um milharal, foi perseguida pelo ex-companheiro e alvejada por quatro tiros de revólver.

Após cometer o crime, o homem fugiu e se apresentou na Delegacia de Cerro Largo, em 30 de janeiro, acompanhado de um advogado, quando confessou o crime.

A vítima era contadora e proprietária de um escritório de contabilidade no Centro de Salvador das Missões.


Fonte: Jornalismo Rádio Sepé



Voltar